Diário do Mearim Cidadania

Diário do Mearim Cidadania

domingo, 16 de maio de 2010

O difícil orgasmo feminino

POR REGINA NAVARRO LINS
A maioria das pesquisas mostra que 60% das mulheres têm dificuldade para atingir o orgasmo. Até 30 anos atrás, isso não era motivo de preocupação. O sexo para a mulher era apenas uma obrigação, visando ao prazer do homem e à procriação, e seu orgasmo não era nem cogitado.
Agora, a mulher reivindica o prazer e se sente defeituosa se nunca atinge o orgasmo. Muitas vezes isso se torna um problema tão sério que acaba afetando sua autoestima, prejudicando outras áreas da vida. Raramente a falta de orgasmo se deve um problema orgânico. Entretanto, as causas são variadas:
— Tabus e preconceitos quanto ao sexo fazem com que muitas mulheres fiquem tensas, não se sentindo livres para participar ativamente do ato sexual, descobrindo suas áreas mais sensíveis, as posições que lhe dão mais prazer e comunicando isso ao parceiro.
— Conflitos inconscientes evocados pelas sensações eróticas, sentimentos de culpa em relação à sexualidade, hostilidade inconsciente ao parceiro.
— O medo de se entregar às sensações pode fazer com que a mulher fique alerta, controlando tudo, mesmo sem perceber. A excitação, assim, só chega até certo ponto, não atingindo a fase de platô, que é o nível de excitação máximo necessário para desencadear o orgasmo.
— A preocupação excessiva em ter orgasmo gera ansiedade, impedindo o relaxamento necessário para desencadeá-lo.
Mas os homens não têm nada a ver com o orgasmo da mulher? Têm e muito. A maioria deles ainda está presa ao mito da masculinidade e vai para o ato sexual para provar que é macho. Mas o medo de falhar, de o pênis não se manter ereto, é grande. Aí ocorre o desencontro. Para a mulher é fundamental que a fase do platô — que antecede a fase do orgasmo — se prolongue ao máximo para que seus órgãos genitais sejam irrigados com bastante sangue, proporcionando alto nível de excitação. O homem, por desconhecimento ou por ansiedade, quando seu pênis fica ereto, parte para a penetração, supondo estar a mulher tão excitada quanto ele. Só que ela necessita de pelo menos três vezes mais tempo que ele para estar no mesmo nível de excitação. Não estando suficientemente lubrificada, não está pronta para a penetração nem para o orgasmo.
A cultura patriarcal impôs um modelo de relacionamento, que transformou o sexo num meio de afirmação da masculinidade para os homens e de submissão para as mulheres. É muito provável que, se libertando deste modelo, ambos comecem a usufruir livremente da troca de sensações de prazer, e o orgasmo se torne muito melhor e fácil de ser alcançado
FONTE; O Dia

0 comentários:

Postar um comentário