Novas regras para entrega da Declaração do imposto de Renda

Prazo vai até 29 de abril

Fifa abre janela para jogadores na Rússia e na Ucrânia

Decisão foi motivada pela guerra que acontece no Velho Continente

Expedito Jr. faz Gol de Placa ao apoiar esporte amador em Bacabal

Desportista declaram apoio ao trabalho de expedito

Norris Cole, Lady Conceição e Norris Cole Jr. fazem Show Internacional em Bacabal

Show deve mobilizar toda massa reggueira de Bacabal e região

Diário do Mearim Cidadania

Diário do Mearim Cidadania

sexta-feira, 29 de novembro de 2019

JOVENS DA TRIZIDELA RECEBEM EXPEDITO JÚNIOR PARA UM "PAPO CABEÇA"


O Pré-candidato a Prefeito de Bacabal Expedito Júnior já  conquistou o apreço das comunidades, sua agenda está  cheia de compromissos que podemos chamar "Diálogos por Bacabal ", seja na zona urbana  ou rural, o povo tem feito convites para conversar com Expedito. Dessa vez a caravana da Solidariedade esteve nesta quinta-feira (28) no Bairro Trizidela onde foi recepcionado por um grande número de jovens desportistas daquela comunidade.

O convite para o encontro partiu de lideranças do bairro. Entre os assuntos discutidos os jovens debateram sobre vários problemas da cidade que atingem em cheio suas vidas.A falta de planejamento da gestão pública deixou a população da Trizidela descrente num futuro melhor.

Expedito Júnior  apontou como um dos principais problemas de Bacabal a falta de um plano de desenvolvimento que priorize sobretudo a geração de empregos e renda mais a capacitação da mão de obra bacabalense para ocupar cargos e empregos nas novas empresas que estão a chegar na cidade.

Os jovens denunciaram a falta de espaços seguros e  adequados para a prática esportiva. Expedito Júnior falou que isso é simples de resolver, basta vontade política e  planejamento. A criação de espaços públicos para a prática esportivas  e culturais é uma reivindicação antiga que nunca foi atendida  por antigos gestores.

Bacabal é uma cidade sem planejamento urbano, lembrou Expedito,  e isso dificulta até  a implantação de uma política  de atração de investimentos,  sem falar no sistema de distribuição de água que  já  virou um problema de saúde pública.


Expedito Júnior deixou claro  aos jovens da Trizidela  que sem  transparência nos atos do governo não há gestão forte e  democrática. Ao final do encontro os jovens abraçaram Expedito numa demonstração sincera que é  o sentimento de mudança para uma vida melhor que motiva Bacabal a resistir é lutar por uma cidade feliz é desenvolvida.
Participaram da Caravana da Solidariedade Gustavo, jovem liderança da Trizela, Jhony Kilde, o ex vereador Rogério Santos, Paulo Campos, o líder comunitário Manuel de Jesus, professora Margarida, o empresário Fabilson Barros, e os Jornalistas Osmar Noleto e Zezinho Casanova.

quinta-feira, 28 de novembro de 2019

Projeto de extensão da UFMA - BACABAL realiza Seminário sobre direitos humanos


O  VI Seminário Temático sobre direitos humanos é organizado pelo projeto de Extensão em Direitos Humanos da UFMA Bacabal nesta quinta-feira (28) às 19h00 no auditório da UFMA Campus do Bambu.
Desta vez o evento terá como tema " A Efetivação  dos direitos humanos em Bacabal - A atuação  da Defensoria e do Ministério Público". As inscrições são gratuitas e podem ser feitas na página www.even3.com.br/direitoshumanosembacabal/ .
Participaram da mesa redonda do evento Edgar Braga neto ( Prof. Doutor), Dr. Davi Lucena ( Defensor Público) e Doutora Michele Saraiva( Promotora de Justiça). O projeto é coordenado pelo Professor Doutor Bacila Sahd.
Além das palestras haverá um recital de poesias com o ator Francisco Luciano.

Bacabal terá Escuta sobre saúde integral da população LGBTQI+


A Secretaria de Estado da Saúde promove nesta sexta-feira (29) a partir das 8h no auditório do Fórum de Bacabal, a I escuta Territorial para Construção da Política de Saúde Integral da população LGBTQI+ do Maranhão.O objetivo é receber propostas para implantação de uma política publica de saúde especifica para a comunidade LGBTQI+.

Dessa forma valorizar a saúde como um direito humano de cidadania e ressaltar que a população LGBT tem direito a receber atendimento livre de qualquer discriminação, restrição ou negação em virtude da orientação sexual e identidade de gênero.

Objetivos da política de saúde LGBTQI+

Você sabe o que significam as letras dessa sigla aí no título? Lésbicas, Gays, Bissexuais, Transexuais, Queers, Intersexos e quem + chegar. Queer é uma gíria inglesa cuja tradução é esquisito, estranho. E intersexo é a terminologia para as mais de 40 variações em que uma pessoa pode nascer sem se encaixar no feminino ou masculino, de acordo com o sexo biológico.

Cada pessoa tem sua orientação sexual (forma de atração afetiva e sexual), assim como sua identidade de gênero (gênero com o qual se identifica) e sua expressão de gênero (comportamentos, forma de vestir, forma de apresentação, aspecto físico, gostos e atitudes). Essa condição requer uma políca de saúde baseada no geral nos seguintes objetivos.

Incluir o conteúdo da política nos processos de educação dos gestores e trabalhadores da saúde;
Ampliar o acesso da população LGBTQI+ aos serviços de saúde do SUS, garantindo o respeito às pessoas, o acolhimento com qualidade, a resolução de suas demandas e necessidades, e a permanência nos serviços;

Prestar atenção integral contínua na rede de serviços do SUS, oferecendo atendimento às patologias comuns e acompanhamento clínico, incluindo as infecções sexualmente transmissíveis;

Garantir o uso do nome social de travestis, transexuais e queers de acordo com a Carta dos Direitos dos Usuários do SUS, decretos e portarias estaduais e municipal;

Qualificar os registros nos sistemas quanto às identidades de gênero e orientação sexual que permitam monitorar, avaliar e difundir os indicadores de saúde e de serviços;

Garantir o acesso e cuidado na Rede de Atenção Psicossocial (RAPS) das pessoas LGBTQI+ quanto ao sofrimento e/ou transtornos mentais provocados por discriminação, preconceito, exclusão social, iniquidades e desigualdades;

Qualificar a rede do SUS para desenvolver ações de redução de danos à saúde de pessoas LGBTQI+ provocados pelo uso excessivo de medicamentos, álcool, substâncias psicoativas, anabolizantes, estimulantes sexuais, silicone industrial, hormônios e outros.
A participação de todos é importante para o Maranhão avançar na saúde publica.



segunda-feira, 25 de novembro de 2019

Contagem regressiva para o Show de Pe. Alessandro Campos em Bacabal


A Diocese de Bacabal realiza um grande show católico com Padre Alessandro Campos em Dezembro, dia 07 a partir das 18h, no Centro Cultural de Bacabal, o evento que já criou uma grande expectativa na cidade tem entre outros benfeitores o apoio Cultural de Expedito Júnior.
A venda de ingressos está em preço único. O ingresso está custando R$ 25 e estão sendo vendidos na Cúria Diocesana de Bacabal, Igrejas Católicas Matrizes de Bacabal, Panificadora Aparecida, Livraria Central, e, em Alto Alegre na Information.


A arrecadação do evento é para ajudar na evangelização da Diocese de Bacabal.

Depois de ordenado e por pertencer à Arquidiocese Militar, padre Alessandro dedicou-se à Paróquia do Colégio Militar de Brasília, engajando-se nas Forças Armadas até fevereiro de 2011. Entretanto, uma missão falou mais alto: evangelizar através de sua música.

Ainda na época de coroinha, o padre já cantava na igreja, junto da mãe e da irmã. Ele conta que a paixão pela música sertaneja é herança familiar: “É a minha raiz. Venho de uma família rural, de sertanejos, onde todo domingo meus avós, após o almoço, faziam aquela roda de viola. Sempre digo que todos nós, de uma certa forma, temos o pé na roça.

”Tudo começou quando, em suas missas, o sacerdote passou a adaptar a letra de alguns clássicos da música sertaneja para levar a mensagem de Jesus. O chapéu passou a fazer parte da batina e, logo, todos os fiéis já estavam cantando e saudando os irmãos com o bordão “Segura, cristão!”, marca registrada do padre Alessandro.

O trabalho com a música foi ganhando espaço, quando então, o padre deixou as Forças Armadas para se dedicar ao trabalho missionário, viajando e levando suas canções por todo o Brasil. No entanto, faz questão de afirmar que, antes de qualquer coisa, está a serviço de Deus, e a música é apenas um instrumento para sua evangelização. “Acredito fielmente que foi Deus que me encaminhou para isso, porque nunca me considerei cantor, nunca quis ser cantor; sempre quis ser padre. Mas algo me deixava inquieto, eu queria ser um padre diferente, e não sabia como seria isso”, comenta.



SERVIÇO

O QUÊ? Show Católico com Padre Alessandro Campos 
QUANDO? 07 de dezembro, sábado. 
HORÁRIO? 18H30
ONDE? Centro Cultural da cidade


DIÁRIO DO MEARIM COM IFORMAÇÕES DA DIOCESE DE BACABAL





sexta-feira, 22 de novembro de 2019

Morre dona Jovelina mãe do Jornalista Osmar Noleto

Faleceu às 19h desta quinta-feira (21) em São Luis no HTO a Senhora Jovelina Noleto, mãe do Jornalista  Osmar Noleto. Dona Jovelina tinha 99 anos e dois quais  dedicou 62 à Assembleia de Deus.
Deixa 1 Filho, 12 netos, 35 bisnetos e 10 Tataranetos, seu corpo está sendo velado na rua São Sebastião, Bairro São Bernardo no Templo da Assembleia de Deus de onde será levado para o cemitério da saudade para ser sepultado.
A Associação de Imprensa de Bacabal emitiu nota de pesar em solidariedade à familia.

quarta-feira, 20 de novembro de 2019

Secretaria de cultura promove Noite da Cultura Afro


Em  comemoração ao 20 de Novembro, dia nacional da consciência negra, a secretaria de cultura de Bacabal que tem a frente a professora Marcela, realizou nesta quarta-feira (20) às 19h, um evento onde reuniu as principais representações da cultura negra bacabalense. A Praça da Bíblia ficou pequena para a quantidade de pessoas que prestigiaram o evento.
A Banda Santa Cecília abriu o evento tocando músicas do cancioneiro popular, no tablado montado ao centro da praça uma roda de capoeira com o grupo Descendentes de Aruandê. O Grupo de Dança deu um Show de coreografias e com um figurino que lembrava o estilo africano de se vestir. A premiada mestra da cultura popular Floriza apresentou seu grupo de Dança da Mangaba de São Gonçalo.

O Tambor de Crioula foi uma atração a  parte, ja um dos momentos  mais admirados foi a apresentação do Divino Espirito Santo da comunidade quilombola São Sebastião dos Pretos . No Palco o Cantor e compositor Zé Lopes fez  um Show histórico para a data. Depois foi a vez da Radiola de reggae Companhia musical tocar as melhores pedras para massa regueira.

Acompanhado de uma comitiva de Secretários, Vereadores e amigos, o prefeito Edvan Brandão participou do evento, o Vereador Melquiades agradeceu ao prefeito Edvan Brandão e à Secretaria marcela  e homenageou grandes nomes da cultura bacabalense.

Expedito Júnior apoia 13ª Parada do Orgulho LGBT de Bacabal


Com o apoio Cultural do Advogado Expedito Junior, acontece neste domingo (24) a partir das 17h a 13ª Parada do Orgulho LGBT de Bacabal. O evento é uma realização do Grupo Flor de Bacaba e este ano tem como tema "Diversidade acima de tudo, democracia acima de todos". Não precisa ser gay para participar e ajudar na luta contra a homofobia. Basta ser uma pessoa comprometida com um mundo melhor.

Parada do orgulho LGBT, parada do orgulho gay ou simplesmente parada gay, são uma série de eventos de ações afirmativas para a comunidade LGBT que comemoram o orgulho e a cultura de lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros (LGBT). Os eventos também, por vezes, servem como manifestações contra a homofobia e por direitos iguais. A maioria destes eventos ocorrem anualmente e muitos ocorrem por volta de junho para comemorar a rebelião de Stonewall, um momento crucial nos movimentos civis LGBT modernos.

Em Bacabal o evento consegue levar para ruas além da comunidade LGBT de Bacabal e região, um número grande de familiares dessas pessoas, amigos e simpatizantes. O evento começa na Praça Cleomenes Falcão ou praça da Bíblia, seguindo pela avenida Getúlio Vargas, Barão do Rio Branco, Rua Oswaldo Cruz encerrando na Praça do Bolo com uma serie de Shows e apresentações de grupos de dança.
Você pode ser o que quiser, mas para viver numa sociedade mais justa e igualitária para todas as pessoas – seus filhos, amigos e parentes, inclusive – precisa se posicionar contra toda e qualquer tipo de preconceito. Não dá para ficar apático. Seja solidário e Participe.

segunda-feira, 18 de novembro de 2019

Justiça eleitoral quer responsabilizar candidato por divulgar fake news


De olho na eleição municipal de 2020, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) quer acrescentar uma nova regra na legislação eleitoral, para tentar diminuir a quantidade de Fake News divulgada no pleito do ano que vem.

O mecanismo foi incluído pela primeira vez em uma minuta de resolução do TSE, que são as normas que orientam a atuação da Justiça Eleitoral durante as eleições

O documento, disponibilizado para consulta pública em 8 de novembro, prevê que a utilização de informações veiculadas por terceiros em propagandas "pressupõe que o candidato, partido ou coligação tenha procedido à checagem da veracidade e fidedignidade".

O texto diz ainda que é preciso comprovar a afirmação por meio de "fontes de notória credibilidade". Caso contrário, o adversário que se sinta ofendido poderá pedir direito de resposta, sem prejuízo de eventual responsabilidade penal.

A mudança é no artigo 58 da lei eleitoral, que trata sobre direito de resposta. Atualmente, o texto fala genericamente apenas em campanha na internet. Agora, há menção específica sobre desinformação.

As minutas para a eleição do ano que vem, que têm como relator o ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), ainda vão passar por consulta pública, no final de novembro. Em dezembro, devem ser votadas pelo plenário do tribunal.

A preocupação do TSE com Fake News é grande. Na eleição de 2018, o tribunal sofreu críticas pela sua atuação, em relação à desinformação. Há uma previsão de que a quantidade de Fake News no pleito do ano que vem seja ainda maior, dado o fato de ser uma eleição descentralizada.

A inclusão de um artigo específico sobre o tema tem como objetivo orientar os juízes de primeira instância, que serão os responsáveis por analisar os casos concretos pelo Brasil.

De acordo com a assessoria do TSE, a especificação na legislação visa também desencorajar os candidatos e partidos a partilhar esse tipo de conteúdo na internet. Não há uma expectativa de acabar com as fake news, mas diminuir o alcance da desinformação.
Diário do Mearim com informações da Folha de São Paulo

Confirmada Candidatura de Expedito Junior a Prefeito de Bacabal - Veja entrevista sobre suas propostas

  Expedito Júnior, foi escolhido pelo Solidariedade para disputar a
 prefeitura de Bacabal. Foto: Artur Costa

Em Matéria publicada no site Oficial do Solidariedade Maranhão o Partido confirma o nome do advogado Expedito Júnior como pré-candidato à prefeitura de Bacabal. Além de Expedito, o partido deve anunciar nos próximos dias mais nomes que vão entrar na disputa no pleito de 2020.

Expedito atualmente é subsecretário de Indústria, Comércio e Energia do Maranhão (Seinc). Filho de Bacabal, Expedito pretende usar sua experiência na pasta em prol do desenvolvimento da cidade.

Quem é Expedito Júnior?

 Expedito Júnior é filho de Bacabal e vai concorrer às
                      eleições do ano que vem pelo Solidariedade. Foto: Acervo Pessoal
Expedito Júnior é casado e pai de três filhos. Nasceu e cresceu em Bacabal. Filho de Expedito Rodrigues Silva e Maria dos Reis Barros Silva. Os pais chegaram a Bacabal há mais de 50 anos, como muitos outros que procuraram a cidade pela pujança econômica da época. Estudou toda a infância no Colégio de Nossa Senhora dos Anjos, de onde saiu para Universidade.

Administrador, advogado e pós-graduado em gestão pública, e atualmente, subsecretário estadual de Indústria, Comércio e Energia (Seinc) e presidente do Conselho Deliberativo da GASMAR. Já fui presidente do Conselho do Porto do Itaqui e Conselheiro do SEBRAE-MA.

                       ENTREVISTA

Estamos chegando próximo ao período das eleições municipais. Como integrante do diretório estadual, como o senhor pretende colaborar para o crescimento do partido?

Expedito Júnior: Tive a oportunidade de contribuir com o governo Flávio Dino durante os últimos anos, adquirindo uma grande experiência administrativa e política, pois compartilhei de inúmeros programas, missões empresariais e políticas, dialogo com entidades empresariais e governamentais, construções, ao lado do amigo e Secretário Simplício Araújo, de pautas para o desenvolvimento do nosso estado, para a Industria, Comércio e energia nos mais diversos e amplos segmentos, da agricultura familiar, como foi o caso da cerveja magnifica, dos programas de incentivos fiscais para avicultura, atacadistas, agronegócio, carne e couro e etc, e suas contra partidas sociais, onde conseguimos dezenas de ambulâncias, poços, casas de farinhas e tantos outros benefícios para o povo carente de nosso estado.

Minha experiência na Seinc, onde inclusive fiquei Secretário de Estado, me deu ampla visão sobre a gestão pública e da grande importância que tem o setor privado para o crescimento econômico em geral. Nos últimos anos tenho tido, junto com Simplício e nossa equipe, relacionamentos com instituições nacionais e internacionais, sempre com assento ou importante participação nas relações com Sebrae, Fiema, Fcdl, ACM, Acii, Senar, Vale, Alumar, Porto do Itaqui, Prefeituras do nosso estado e de outros estados da federação, governos estaduais, representantes de países como China, Emirados Árabes, França, EUA, Portugal e tantos outros.

Além da experiência em gestão, tempos ajudado o Governador Flávio Dino desde 2010, a construir um plano de governo focado em contribuir com o crescimento do nosso estado.

No partido Solidariedade, participei das principais decisões do partido em relação as campanhas majoritárias e proporcionais dos últimos anos, o que também contribuiu muito com a minha caminhada até aqui.

Quando seu nome for homologado pela convenção do seu partido, quais as principais propostas que levará ao eleitor?

Expedito Júnior: Minhas principais propostas serão no âmbito da reestruturação da saúde e geração de emprego, renda e desenvolvimento. A saúde precisa ser reestabelecida. Preciso reequipar nossas unidades de saúde, para que os bacabalenses não precisem se deslocar para outra cidade.

Vamos organizar nossa cidade para a atração de investimentos, com a contrapartida de contratação de mão de obra local. Com a geração de emprego, aumentaremos a circulação de renda e traremos desenvolvimento. Isso impacta no nosso comércio, e no dia a dia das famílias, que vão trabalhar perto de casa.

Como a sua experiência em uma Secretaria Estadual pode ajudar no enfrentamento dos problemas locais?

Expedito Júnior: Acredito que minha convivência com os atuais grandes líderes da política maranhense e nacional, com o governador e nossos amigos secretários de estado das mais diversas pastas, com quem sempre busco estar em contato, podem me ajudar a contribuir com o enfrentamento dos problemas locais de Bacabal e reposicionar nossa cidade de forma honrada no mapa político do maranhão e do Nordeste.

Bacabal tem grandes potencialidades a serem exploradas, mas se faz necessário dar um basta na forma ultrapassada como se fez política até hoje em nossa cidade. Precisamos de gestão pública eficiente, que possa garantir empregos além dos gerados pela prefeitura, e Bacabal tem tudo para garantir esses empregos, basta direcionar a máquina pública para o crescimento da cidade, ou invés de direcionar para a manutenção de grupos no poder.

Precisamos de políticas públicas que garantam explorar os potenciais da terra, agua, clima, pecuária e da excelente localização geográfica que Bacabal possui e que nos permite atingir um mercado consumidor de quase 5 milhões de habitantes num raio de 400 a 600 km de distância. Tudo isso pretendo discutir com nossa população nos próximos meses.

O desemprego atingiu a marca de 13 milhões de desempregados do país. Bacabal já foi considerada uma das cidades mais desenvolvidas do Maranhão. O que fazer para trazer de volta a esse status?

Expedito Júnior: Minha experiência na Seinc poderá contribuir muito para fazer de Bacabal um atrativo para investidores. Nossa cidade fica próxima de São Luís, tem terras agricultáveis, o Rio Mearim e um comércio forte na região. Minha intenção é fazer Bacabal voltar a ter a economia forte e crescer ainda mais! Com a economia forte e uma cidade em progresso, vamos contribuir para a expansão de empresas e negócios já instalados na cidade e a chegada de novos investimentos, e assim, somar esforços para a geração de empregos.

FONTE: Solidariedade  - MA

domingo, 17 de novembro de 2019

Sebrae lança site exclusivo para negócios digitais


Já está no ar o site Sebrae Like a Boss, novo espaço de interação virtual para startups de todo o país, criado para estimular empreendedores a pesquisar informações, expor seus projetos e buscar orientações sobre negócios. O cadastro é simples, rápido e dá acesso a uma plataforma completa para quem busca inovação.

Ao lançar esse site especializado, o principal objetivo do Sebrae é apoiar empreendedores e startupeiros com negócios digitais por meio de capacitação e conexão com o mercado. Será um espaço de convergência e referência para pequenos negócios digitais e um ponto de encontro para novas ideias e projetos inovadores.

“Os negócios digitais já são foco de atenção do Sebrae no Maranhão. Realizamos algumas ações pontuais até agora, mas a partir de 2018, vamos investir de maneira mais precisa nesse macrossegmento como projeto, já vislumbrado para o nosso Plano Plurianual 2018-2020”, informa o diretor técnico do Sebrae estadual, José Morais, ressaltando o quanto essa nova plataforma do Sebrae é importante como canal de conhecimento e informação aos empreendedores digitais.

Ao se cadastrar no site do Sebrae Like a Boss, o internauta responderá um breve questionário que permite fazer um diagnóstico do negócio ou ideia em fase inicial, traçando um perfil do empreendedor e, assim, será possível identificar o estágio de maturidade da startup ou projeto. Em seguida, ele é direcionado para uma área do portal com informações de acordo com sua necessidade e onde poderá encontrar conteúdos, informações sobre eventos e opções de editais de fomento, conforme a maturidade da sua startup.

“A proposta do Sebrae é possibilitar uma maior interação entre empreendedores e startups, identificando suas necessidades e as respectivas soluções que pode oferecer ou aquelas já existentes no próprio ecossistema e que são mais adequadas para atendê-los. Dessa maneira daremos a nossa contribuição para impulsionar e fortalecer os negócios digitais, além de expandir seu relacionamento com os startupeiros”, aponta a diretora técnica do Sebrae Nacional, Heloísa Menezes.
A partir dessa nova plataforma, o Sebrae vai apoiar negócios nascentes e alavancar aqueles já existentes. Por isso, inicialmente o site disponibilizará relatórios com indicação de startups para investidores e instituições do ecossistema e, posteriormente, será aberto ao cadastro dos próprios investidores.

A plataforma poderá ser utilizada como ‘vitrine’ para startups e seus produtos, possibilitando oportunidades de negócios concretos. A busca poderá ser feita por estado, categorias e por nível de maturidade.

Futuramente, o portal também funcionará como uma rede social para os empreendedores e, além de um canal de comunicação aberto, será um ambiente de conexões e troca de conhecimento, assim como base de dados para seleção de startups diante desafios e projetos da instituição no Brasil inteiro. A concepção desse ambiente virtual levou em consideração as diferenças existentes entre empresas tradicionais e startups, como a linguagem e termos técnicos, refletindo a realidade desse tipo de negócio.
FONTE: Agencia Sebrae
















Defensoria Pública e o Curso de Comunicação da UFMA firmam parceria


A ampla maioria da população desconhece a sigla e os objetivos do TFD (Tratamento Fora de Domicílio), uma política pública do Ministério da Saúde (MS) que garante auxílio financeiro para atendimento médico de pacientes portadores de doenças que não têm tratamento no município de origem.

Embora seja um direito, instituído pela Portaria nº 55 da Secretaria de Assistência à Saúde do MS, o TFD é pouco conhecido e divulgado. Em decorrência da falta de informação, grande parte do recurso não é utilizada e um número expressivo de pacientes sequer tem conhecimento do direito assegurado em norma federal.

Com base nessa constatação, a Defensoria Pública do Estado do Maranhão (DPE) buscou uma parceria com o Curso de Comunicação da UFMA para planejar e executar uma campanha educativa com o objetivo de esclarecer e orientar a população e os agentes públicos sobre o TFD.

A título de exemplo: se um paciente morador do município “x” precisa fazer tratamento de hemodiálise e essa especialidade não é oferecida na referida cidade, o enfermo pode solicitar o acesso ao recurso assegurado no TFD para fazer o deslocamento até uma unidade de saúde em outra cidade, onde o tratamento é ofertado.

A realocação do paciente é feita pelo serviço de Regulação do SUS (Sistema Único de Saúde), a partir de critérios como a disponibilidade de vagas.

O TFD contempla pessoas na faixa de renda familiar de até três salários mínimos. O recurso consiste em uma ajuda de custo para viabilizar despesas com transporte, hospedagem e alimentação, inclusive do acompanhante, caso necessário.

Essas informações, no entanto, não chegam aos pacientes. Segundo a Defensoria Pública, nem mesmo as Casas de Apoio mantidas por prefeituras têm esclarecimento suficiente do TFD para orientar as pessoas que precisam do recurso.

A campanha educativa será desenvolvida mediante o diálogo entre a Defensoria Pública, professores e alunos de três disciplinas: Direção de Televisão, Jornalismo de Revista, Sonorização e Trilha Sonora, e Roteiro para Rádio, ministradas respectivamente pelos professores Josie Bastos, Bruno Ferreira, Carlos Benalves e Ed Wilson Araújo.

Os produtos da campanha educativa, nos formatos impresso e audiovisual, com versões para as plataformas digitais, serão desenvolvidos pelos estudantes ao longo do segundo semestre de 2019, com a supervisão dos docentes e da Defensoria Pública.

Os defensores Jean Carlos Nunes e Benito Pereira da Silva Filho estiveram na UFMA para fazer as primeiras tratativas da parceria e proferiram palestra explicando os detalhes técnicos e jurídicos do TFD.

Para a coordenadora do Curso de Comunicação, Luiziane Saraiva, a parceria é duplamente interessante. “Pela ótica da Responsabilidade Social, a academia presta serviço à comunidade, devolvendo parte do investimento que vem sendo feito e, para o grupo de estudantes que participarão do projeto, será a oportunidade de aprendizado e aplicação dos conhecimentos adquiridos em sala de aula. A veiculação do material produzido tem grande relevância no portifólio dos estudantes”, explicou.

O chefe do Departamento de Comunicação, Carlos Benalves destacou que parcerias como esta são muitos importantes para a UFMA como um todo pois, além de dar vazão às produções feitas pelos alunos e pelos professores, contribui diretamente com uma questão social específica e reafirma o papel das universidades públicas.

Ao final do semestre os resultados da campanha com os produtos de cada disciplina serão apresentados em um evento, organizado por uma disciplina de Relações Públicas.

A circulação da campanha será feita pela Defensoria Pública, através das suas redes nos meios de comunicação e nas plataformas digitais, contemplando os diferentes públicos que atuam direta ou indiretamente na política pública TFD.
Fonte: Agencia Tambor



sábado, 16 de novembro de 2019

Aprovada inclusão de medidas protetivas de mulheres em banco de dados policial


A Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado da Câmara dos Deputados aprovou proposta determinando que os sistemas de registro de informações das polícias civil e militar incluam as medidas protetivas de urgência concedidas pela Justiça.

Essas medidas estão previstas na Lei Maria da Penha. Entre elas estão o afastamento do agressor do lar, a proibição de contato com a ofendida e a suspensão da posse ou restrição do porte de armas de fogo.

O Projeto de Lei 976/19 foi apresentado pela deputada Flávia Morais (PDT-GO) e recebeu parecer favorável do relator, deputado Fernando Rodolfo (PL-PE). O relator afirmou que a medida é “essencial para evitar abusos, agressões e feminicídios, contribuindo para redução da violência urbana e rural.”

                                                                     Tramitação
A proposta será analisada agora, em caráter conclusivo, pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ).

FONTE: Agência Câmara Notícias

Associação de Imprensa de Bacabal discutirá fim do registro de jornalista em MP

José Casanova - Presidente da AIB

A MP proposta pelo governo de desobrigar o diploma de jornalismo, entre outras profissões, enviada para o Congresso, já provoca reações no9 meio da mídia e comunicação brasileira. em Bacabal a AIB - Associação de Imprensa de Bacabal irá conversar sobre as mudanças propostas pela Presidência da Republica e que mais uma vez prejudica os profissionais da comunicação.

No Legislativo, o Presidente da Câmara dos Deputados Rodrigo Maia classificou a medida como inaceitável, de acordo com a Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj). Ontem a ABI convocou reunião com a Fenaj e sindicatos da categoria para enfrentar a onda de ataques à profissão.

Em entrevista na Câmara Federal, Maia afirmou que a MP deve ser aprovada, mas sem interferir na regulamentação da profissão de jornalista. Ele também salientou que os artigos que prejudicam a classe devem ser retirados da Medida Provisória, principalmente o que acaba com a obrigatoriedade do registro profissional.

O ex-deputado Aldo Rebelo, que é jornalista profissional, postou no seu Twitter: “Hoje à tarde falei com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, sobre a absurda MP que revoga a obrigatoriedade de registro para atuação profissional de jornalistas. O presidente Rodrigo Maia considerou os termos da MP inaceitáveis”.

Além dessa desagradável novidade, a Associação de imprensa de Bacabal , atendendo pedido das autoridades da área da segurança publica, deverá promover ainda este mês um encontro entre profissionais da comunicação local e Promotores Públicos, Defensores públicos e áreasa afins.
Com adaptações da Associação Brasileira de Imprensa

quinta-feira, 14 de novembro de 2019

Prefeito de Bacabal e Deputados pegam Carona em ações do governo


A gestão municipal de Bacabal continua com suas trapalhadas, dessa vez ao tentarem pegar carona nas ações do governo estadual, acabaram pagando um histórico Mico. Desde que o Governo do Estado anunciou o uso do gás natural para  veículo e industria a partir de um poço no povoado \morada Nova em Bacabal todo mundo quer ser o Pai da criança.
Circulam nas redes  sociais fotos do Deputado Roberto Costa e do Prefeito Edvan Brandão, em um  poço de gás natural.
O pior foi levarem  uma comitiva de Deputados para visitarem o local, que nas fotos parece  ser bem diferente dos primeiros  registros divulgados pelo governo.
Ao embarcar no trabalho alheiro, o barco afundou, além de visitarem o poço errado, a comitiva não levou ninguém da empresa e nem usaram qualquer equipamento de segurança.
Agora é aguardar as cenas do próximo  capítulo para ver o próximo deslize.

Se a eleição para Prefeito de Bacabal fosse hoje em qual quandidato voce votaria?


Quem pensa que os candidatos desceram dos palanques esta redondamente enganado .Aliás quem foi candidato e deixou de pelo menos reunir com sua equipe já perdeu pontos na corrida rumo ao Palácio das Bacabas. "Apesar de não haver regras estabelecidas pela Justiça Eleitoral para realização de enquetes de intenções de votos fora do período vedado, a Central de Notícias , uma agencia de Noticia de São Luis que cobre todo o Maranhão, deu início a uma série desse tipo de consulta entre os internautas obedecendo alguns critérios que assegurem a credibilidade conquistada até agora como Agência de Notícias.

Atualmente a Central atua como fonte de informação para mais de 300 veículos de comunicação em todo Estado do Maranhão.

O referido Site teve a hombridade de informar que as enquetes não tem valor científico de pesquisa.

Para realização de enquetes o portal da Central de Notícias instalou uma ferramenta que não permite o mesmo aparelho (celular, tablet ou computador) votar mais de uma vez.

Outro critério estabelecido é a inclusão dos principais nomes discutidos entre os moradores de cada cidade como prováveis candidatos a prefeito nas próximas eleições. Para isso, o portal está buscando informações em cada cidade, através de seus repórteres colaboradores, antes da realização da consulta.

Na referida enquete aparecem nomes como Roberto Costa, Florêncio Neto, Edvan Brandão, Céesar Brito, coronel Egídio e Expedito Junior. Para ter acesso Clik no link ENQUETE BACABAL e tenha acesso ao espaço virtual de votação, a Central de Noticias deve manter a enquete no ar até sexta-feira, quaisquer dúvidas entre em contato pelo WhatsApp (98) 9 9614 8358.



terça-feira, 12 de novembro de 2019

Médicos serão contratados para o Hospital Regional Laura Vasconcelos


A região do Médio Mearim será beneficiada com a contração de novos médicos para a tender a comunidade, os serviços médicos ampliados serão em pronto socorro, clínica médica, cirurgias, anestesiologia, ortopedia, cardiologia,infectologia, terapia intensiva, neurologia, odontologia e enfermagem especializada em nefrologia.
O processo de seleção  de empresas especializadas visando a contratação desses profissionais da saúde consta no   Ato convocatório  Nº 328/2009/MA do INVISA - Instituto Vida e Saúde responsável pela gestão daquela casa de saúde de acordo com contrato de gestao  firmado com a Secretaria de Estado da Saúde do Maranhão.
Nas áreas de atuação que demandam especialidades os médicos deverão possuir residencia e/ou título de especialista, devidamente registrado no CRM  e
CERTIFICADO de registro junto ao órgão regulador da especialidade.
Os interessados deverão entregar a documentação necessária as 10:00h do dia 21 de novembro de 2019 no endereço do Instituto Vida e Saúde - Invisa, Rua dos Guriatans, quadra 6, casa 9, Jardim Renascença, São Luis/MA.
Veja AQUI o Edital da INVISA.

segunda-feira, 11 de novembro de 2019

Campanhas milionárias: o leilão da miséria e da ruína em Bacabal


Desperta dessa letargia Bacabal. Reage contra essa política espúria. Teus filhos e filhas estão agrilhoados a um sistema podre, satânico, que mantém a cidade em ruínas e o povo em uma miséria desoladora, sem emprego, nem saneamento, saúde de qualidade ou transporte público. Até quando permitirás que canalhas desfilem como benfeitores, enquanto roubam, despudoradamente, o bem público? Deixe de consentir que pisoteiem nossa Constituição, como seu artigo 37 que fundamenta as gestões públicas na legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência (LIMPE). Dê um basta a essas práticas politiqueiras, espúrias, nojentas, baseadas na ilegalidade, personalismo, patrimonialismo, clientelismo, obscuridade, incompetência e corrupção.

As campanhas milionárias são a face mais nítida desse sistema político clientelista e patrimonialista que cá vigora, e contra o qual nos insurgimos. Elas irrigam a cidade de dois em dois anos, comprando ilegalmente o povo, já reduzido à miséria e desalento. A contrapartida dos milionários “caixas dois” é a colagem de adesivos em carros, ida a comícios, distribuição de santinhos ou porte de bandeiras ou, o mais trágico de tudo, a venda direta do voto. Claro que, assoladas pelo desemprego de anos e necessidades vitais mais básicas negadas, as pessoas tendem a optar não por quem está melhor preparado e é decente, mas sim por quem tem mais chance, no caso, quem gasta mais, como em um leilão. Assim, tentam, ao menos, um alento temporário em suas tragédias pessoais, almejando uma parte de cargo na prefeitura/máquina, penhorada ao vencedor do pleito eleitoral, geralmente, quem deu o maior lance no leilão da “ruína e miséria”.

Por meio dessa lógica, não estamos investindo pessoas com mandatos para gerirem a coisa pública, convencidos por seus programas de governo e ideologias, mas sim consentindo que o bem comum seja privatizado, literalmente, comprado ou “arrematado” em leilão para quem deu o maior lance usar e abusar da “res” (coisa) pública como patrimônio pessoal. Fatalmente, campanhas milionárias fortalecem nos “vencedores” e em seus patrocinadores o sentimento patrimonialista já arraigado de posse privada do bem público e só podem terminar em corrupção, com a multiplicação do valor inicialmente “investido” por meio de desvios, e na manutenção de redes de milhares de “clientes”, dependentes de cargos para seus sustentos, que são nomeados não por mérito pessoal, mas por indicação política ou troca de favores. Eis os “tentáculos do poder” em ação. Nem precisamos dizer quem é o perdedor final desse leilão da miséria e da ruína em Bacabal, que reduz as pessoas à precariedade da vida e ao silêncio face a quem torna a “res pública” um balcão de negócios e bolsa de valores.

“Mas, quem poderá nos salvar?”. Essa ontológica pergunta, imortalizada pelo programa mexicano “Chaves/Chapolin”, segue válida. Eis uma resposta, por exclusão. Não adianta nos alienarmos e dirigirmos nossas esperanças e apelos a uma Bacabal como sujeito idealizado que irá se rebelar de uma hora para outra. A cidade não é uma entidade viva, mas mero reflexo de nós mesmos, que aqui exercemos ou penhoramos nossa cidadania, definindo-se assim os rumos coletivos. Desse modo, também não adianta aguardarmos, messianicamente, algum “herói” redentor, que no fundo não passará de mais um hipócrita, populista e facínora.
Mas, sou eu, é você, somos nós que estamos lendo estas linhas, que devemos despertar dessa letargia para dar um basta a esse sistema podre, corrupto e corruptor. É só nós que podemos, desde que nos organizemos e agindo em unidade com outras pessoas comuns e honestas, que cuidam de cada centavo de suas economias domésticas, e também entenderam que devem zelar pelo dinheiro público, seja por interesses altruístas ou egoístas. Afinal, para quem não é tocado pela dor do outro, basta ponderar que se a coisa pública está gerida em conformidade com a Constituição ela poupa nossos recursos privados. É evidente que, se temos saúde pública não precisaremos das suntuosas e caras clínicas privadas. Ou nos organizamos e resistimos a essa lógica, apontando novos caminhos, ou tudo continuará o mesmo sob o sol escaldante de nossa terra, com a política da ruína e da miséria relegando ao povo a eterna dependência das migalhas que caem da mesa de banquete dos que se refestelam com a verba pública, enquanto depredam nossa res pública. São criminosos os que mantêm a cidade arruinada e a população miserabilizada, em estado de servidão e vulnerabilidade para que se entregue, de forma aparentemente voluntária, aos tentáculos do poder desses krakens para ter uma sobrevida.

Em contrapartida, o nosso horizonte comum é uma cidade que gere emprego e renda, inclusão, igualdade e plena liberdade, restituindo a dignidade e independência política às pessoas. Desse modo, só há um caminho a seguir: união, organização e luta coletiva para elevar as consciências e, assim, garantir que as próximas gestões não serão decididas em um novo leilão. Como criada já está, agora só precisamos nos juntar e empoderar uma oposição verdadeira e sistemática a isso tudo, fundada em junho de 2019 e que, desde então, vem atuando na cidade, despertando as pessoas para o coração do problema. Finalmente, temos uma alternativa, e é coletiva, não heroica. Até então, quem se apresentou como oposição, nunca o foi de fato, pois jamais atacou as raízes nefastas do problema e reproduziu a lógica que dá início a ele: campanhas milionárias. Essa suposta oposição sempre quis preservar o funcionamento do sistema, apenas mudando quem o opera, tomando o lugar e se tornando “a situação” gestora da “máquina” com suas práticas patrimonialistas e clientelistas de espoliação sistemática dos cofres públicas.

A palavra de ordem é: Chega de clientelismo e patrimonialismo, LIMPE Bacabal. Esse modo deles triturarem vidas e sonhos não mais operará com o silenciamento generalizado, conivente e sem oposição de fato.

FONTE: Psolbacabal

URGENTE: COMBATE À BIOPIRATARIA EM XEQUE NO GOVERNO BOLSONARO


De acordo com o agrônomo Marciano Silva, que integra o Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA) e a Via Campesina Internacional, no governo Bolsonaro houve um esvaziamento de setores que atuavam contra a biopirataria no Brasil. 

“O Ibama está na situação de impossibilidade de trabalhar, sem infraestrutura, os profissionais que trabalhavam da temática foram deslocados para outros setores. Temos um passivo que muitas empresas acessaram, desenvolveram produtos, registraram patentes e não fizeram repartição do benefício. A discussão hoje, para nós, enquanto movimentos sociais, povos indígenas e tradicionais é que o nosso conhecimento e a nossa biodiversidade, nós é que detemos e fazemos a conservação, apesar do Estado brasileiro e de outros países terem tomado para si a responsabilidade, eles não têm condição de fazer”, afirmou em entrevista ao Programa BdF RJ.
O tema foi uma das discussões colocadas em pauta no "I Simpósio Brasileiro sobre Acesso ao Patrimônio Genético e Conhecimento Tradicional Associado: Interfaces entre Detentores, Academia, Empresas e Governo", que aconteceu na última semana na Faculdade Nacional de Direito da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Ao todo, foram três dias de programação com mesas e palestras que buscaram aproximar os setores privado, público, acadêmico e tradicional no que diz respeito ao tema da biodiversidade.

“Essa discussão já vem sendo feita há anos, mas é a primeira vez que a gente para pra discutir os quatro segmentos juntos para além da implementação da Lei 13.123/2015, que regulamenta o acesso ao patrimônio genético e ao conhecimento tradicional por parte da academia e das indústrias para o desenvolvimento do produto para pesquisa. Até o momento, não tinha havido um debate mais aprofundado entre esses setores”, destacou Silva.
O simpósio reuniu pesquisadores, pessoas da indústria, advogados, representantes de diferentes povos indígenas do país, comunidades tradicionais e de movimentos populares.
Jaqueline Deister
Com entrevista de Denise Viola
Edição de ANB Online e Diário do Mearim

Artistas e produtores culturais de Bacabal são apoiados pela Vale


Ao todo, 91 grupos e espaços culturais de 30 cidades maranhenses irão receber apoio por meio do edital CCVN APOIA. entre os contemplados estão três grupos de Bacabal, Grupo de Capoeira Descendentes de Aruandê, Grupo de Dança da Mangaba São Gonçalo e Tambor de Crioula Nossa Senhora Aparecida.
Além desses grupos , nesta quinta-feira(14) , a Orquestra de Berimbaus, Acordes do Arame no som da Cabaça, da associação de Capoeira Zanbi, estará em São Luis no Centro de Cultura Vale Maranhão - CCVM, Centro histórico de São Luis, pra fazer show aprovado no Edital Pátio aberto - 2019.
Coordenada por Mestre Pinta, a orquestra tem em seu repertorio peças como o Hino nacional, toque de Angola, , homenagens a antigos mestres e clássicos da MPB como João do Vale, Papete e Jakson do Pandeiro.
Para ampliar o acesso aos  seus editais, o CVMM criou a inscrição por vídeo enviado pelo celular, pensando nas lideranças das brincadeiras, que  sempre têm muito o que dizer e nem sempre estão habituadas com formulários escritos ou digitais. As inscrições por vídeo acabam sendo também um registro documental sobre a história dos grupos e uma grande oportunidade de conhecer as lideranças culturais de diversas regiões.

domingo, 10 de novembro de 2019

TV Ágape se destaca por ser criteriosa e imparcial




A TV Ágape de Bacabal, canal 40 vrm se destacando como uma das TVs locais que mais têm telespectadores fieis à sua programação. Adotando uma linha ética no jornalismo, a TV Ágape mantém uma equipe de profissionais competentes e criativos. O Departamento de Jornalismo é liderado por Fábio Costa que apresenta todos as noite o Jornal "Fala Cidade"

Carlos Borromeus "é responsável pelo programa "Balança Cidade, Com larga experiência e anos de dedicação a profissão que abraça com força de vontade e afinco, ele integra uma equipe não menos capacitada que tem o publicitário Misael Ferreira "como diretor Geral.

O repórter Daniel Azevedo lidera a equipe de externa que vai às ruas em busca de fatos que são noticias, sempre depois da tradicional reunião de pauta.

Uma equipe de pastores evangélicos mantem no ar seus programas com temáticas evangélicas, aos sábados vai ao ar o programa "Repórter Ágape" com Zezinho Casanova, sempre com entrevistados que se destacam na sociedade e com as melhores externas da Semana.

Para assistir a TV Ágape basta sintonizar sua TV no Canal 40 utilizando uma antena externa comum.

Criminalizar fake news é uma péssima ideia


UM ANO DEPOIS da eleição de Jair Bolsonaro, vencida à base de mamadeira de piroca, o combate às fake news se tornou a nova cruzada da oposição. É compreensível: sabemos que o governo da extrema-direita no país existe com base em muita mentira – em um esquema financiado ilegalmente por empresários (réus confessos), com disparos em massa no zap (“Era uma coisa absolutamente intuitiva, o negócio chegava e a gente mandava para as pessoas”) e robôs que propagam sandices para manipular a opinião pública. Por isso a declaração de André Mendonça, ministro da Advocacia-Geral da União, causou tanta revolta. Ele disse: “Agora não é hora de criminalizar fake news”.

“É muita safadeza e canalhice pra um governo só!”, reagiu, indignado, Felipe Neto, um dos principais formadores de opinião do país. “Trocou-se o direito pelo submundo”, tuitou o deputado do PSOL André Valente. “A mentira precisa ser combatida independente da ocasião. A corrupção da verdade não pode ser relativizada sob uma pretensa defesa da liberdade de expressão”, declarou Marina Silva.

Nós até entendemos as reações indignadas. Também repudiamos a propagação de mentiras e desinformação – inclusive já fomos alvo desse tipo de campanha odiosa. Mas concordamos com André Mendonça: Agora não é hora de criminalizar fake news – nem agora, nem nunca.

Como o combate às fake news tem apelo político, congressistas aproveitaram para surfar a onda. Só no ano passado, mais de 20 projetos de lei foram propostos para tentar criminalizar notícias falsas. Eles prevêem multas e penas, de até oito anos, para quem criar ou compartilhar algo comprovadamente mentiroso. Há iniciativas que querem, até, equiparar notícias falsas aos crimes que atentam contra a segurança nacional. Divulgou uma mentira no zap? Terrorista
O projeto que foi para frente foi a Lei 13.834, que altera o Código Eleitoral e tipifica como crime a denunciação caluniosa contra candidatos em eleições. A partir das próximas eleições, quem noticiar ou compartilhar informação sobre uma investigação, processo ou inquérito contra um candidato sabidamente inocente pode ser condenado a até oito anos de prisão, além de pagar multa.

Na sanção presidencial, Jair Bolsonaro havia vetado o artigo que estende a mesma pena a quem compartilha, mas o Congresso derrubou o veto. “Quem inventa notícia falsa, quem faz o processo de destruição de reputação sabendo que está propagando mentiras, tem que ser severamente punido”, disse o senador petista Humberto Costa, engrossando o coro do endurecimento. O problema é: quem será o juiz para dizer se os nossos tios (ou os seus) são apenas ingênuos ou se enquadram como criminosos perversos que estão repassando um meme para destruir a democracia?

Como separar ingenuidade, falta de informação e má intenção em um submundo infinito como o zap? E como garantir que leis como essa não serão usadas contra movimentos sociais e inimigos declarados como… a imprensa? Jornalistas cometem erros todos os dias, é da natureza da profissão – de todas as profissões. Nossos erros serão enquadrados como “fake news” pelo Sergio Moro da vez?

O problema é esse: “Não existe um consenso ou definição definitiva sobre o que pode ser considerado fake news ou mentira”, alerta Francisco Brito Cruz, diretor do instituto de pesquisas de direito e tecnologia InternetLab e co-autor do livro Direito Eleitoral na era digital. “Você compartilhar, sem saber, uma coisa desatualizada, isso entra nessa categoria? Ou você, com o intuito de expressar sua opinião, compartilhar o que cientificamente não tá provado, também é mentira?”

Na Rússia, a legislação para “combater fake news” já está sendo usada para proibir críticas ao governo, bloquear aplicativos de mensagens e forçar as empresas a manterem servidores no país – o que poderia abrir brecha para quebra de privacidade e espionagem legalizada. A legislação está sendo fortemente questionada por opositores, que têm medo de serem presos por “insultarem autoridades”, uma cortesia do “combate a fake news”.

A gente já viu o que acontece: a definição de “fake news” é moldada pelos operadores do direito da maneira que melhor lhes convém. Em março, o ministro Dias Toffoli abriu o inquérito 4.781 para investigar fake news contra o STF. Super abrangente, a investigação não tem um alvo específico e foi usada para enquadrar inimigos: um mês depois, o relator Alexandre de Moraes a usou para ordenar a censura de uma reportagem da revista Crusoé sobre Toffoli. Chamou o texto, baseado em um documento, de “típico exemplo de fake news”. (Nós o republicamos aqui, porque isso é inaceitável).

A decisão foi revertida, mas criou um precedente perigoso. Então uma reportagem baseada em um documento é uma notícia falsa? Nós não concordamos com a reportagem, mas não achamos que seja mentirosa – tanto que, em nome da liberdade de expressão, reproduzimos o texto censurado aqui no TIB. “É esse tipo de coisa que pode aumentar se a gente aumenta o controle. Porque o jornalismo incomoda os poderosos”, diz Brito Cruz.

Em setembro, senadores criaram uma CPMI, Comissão Parlamentar Mista de Inquérito, para debater fake news. O senador Angelo Coronel, presidente da CPMI, foi até a Rússia estudar o tema. A Rússia. Ela mesma. O país mestre em manipular processos democráticos, inclusive internacionais, usando desinformação, ao mesmo tempo em que legisla sobre fake news para massacrar vozes dissonantes.

Muitos membros dessa CPMI têm apreço pela censura: uma investigação do Aos Fatos mostrou que eles já moveram 63 processos para remover conteúdo na internet. Dominada por partidos de oposição, a CPMI deve avançar na investigação sobre disparos em massa na campanha de Jair Bolsonaro – e é usada como arma política contra ele. É claro que os casos envolvendo a campanha eleitoral de Bolsonaro devem ser investigados – um a um, e não com legislação genérica e perigosa.
O jeitinho brasileiro: tipifica como crime que resolve


O Brasil tem um problema grave de analfabetismo funcional: um em cada três brasileiros tem dificuldades em entender o que lê. Ao mesmo tempo, mais de 120 milhões de brasileiros usam o Facebook e WhatsApp, principais meios difusores de notícias falsas. Imagine cogitar condenar à multa ou reclusão quem compartilha uma mentira sem sequer entender direito o que acabou de ler? Pelas estatísticas, o peso dessa criminalização cairá sobre os mais pobres.

Ao mesmo tempo, o país tem a terceira maior população carcerária do mundo – e o número só aumenta. Multas – como as previstas nessa legislação – são uma maneira bastante eficaz de manter as pessoas pobres presas e as ricas, soltas. Você mira na Joice Hasselmann – a maior propagadora de mentiras das eleições de 2018 – ou na Bia Kicis – e seu vídeo falso com membros da Farc mencionando Lula – mas acerta o tiozão do zap. Pode apostar.

Mais grave ainda é o impacto disso para nós, jornalistas. Ainda que tenhamos protocolos de checagem, essa medida que criminaliza a difusão de informações é um atentado à liberdade de imprensa. Vai ficar muito mais difícil, arriscado e custoso fazer uma reportagem sobre um processo que, por exemplo, ainda não tem investigação oficial.

O presidente Jair Bolsonaro, por exemplo, vive dizendo que o jornalismo da Globo e da Folha de S. Paulo é “fake news”. Sergio Moro disse que somos aliados de hackers criminosos porque reportamos sobre seus métodos fora da lei. Deltan Dallagnol disse que adulteramos seus chats publicados na Vaza Jato (sem apontar, obviamente, uma adulteração sequer, porque não existem). Osmar Terra disse que a notícia sobre a censura da pesquisa sobre drogas que publicamos em abril é “fake news”. Deputados pediram nossa prisão e o fechamento do site. A reação é sempre previsível: não gostou? Fake news.

Em uma época em que o governo deslegitima como mentira tudo o que é publicado pela imprensa que não se ajoelha para ele, não é difícil prever que o mecanismo que hoje a esquerda sonha que será usado para anular a eleição se transforme em um poderoso meio para criminalizar jornalistas e remover informação da internet.

A nossa legislação já tem mecanismos para impedir a propagação de conteúdo que pode ferir direitos fundamentais. Os crimes contra a honra – injúria, calúnia e difamação –, por exemplo. Há casos que podem ser enquadrados como falsidade ideológica ou estelionato. O próprio código eleitoral já prevê pena de multa e detenção para difamação.

Esses mecanismos que existem já são usados para tentativas de censura e controle da imprensa. É só lembrar que Bolsonaro foi o político que mais entrou na justiça para tentar remover conteúdo na internet, que João Doria processou até o dentista que emprestou internet a seus críticos e que Danilo Gentili, embora diga que defenda a liberdade de expressão, quer cadeia para quem fala mal dele. Já imaginou essa gente com uma legislação vaga sobre fake news debaixo do braço?

Ao endurecer as penas e criar tipos penais genéricos para enquadrar ‘fake news’, quem se comunica de forma legítima vai ficar intimidado – especialmente quem não tem acesso à justiça e a bons advogados. “Os políticos estão na mira e quem os incomoda vai sofrer mais consequências”, diz o pesquisador Brito Cruz.

Para André Mendonça, da AGU, agora não é um momento oportuno para discutir mais um tipo penal por causa do “calor do momento”. “Está tão acalorada essa discussão que eu acho que, se fizer isso agora, a gente corre o risco de se exceder demais ou de não dar o devido tratamento. A comunicação em rede vai ser a realidade do século 21. E você agir de uma forma talvez tão desproporcional, vai inviabilizar uma liberdade de expressão que também é um direito constitucional”, disse na entrevista ao UOL.

A gente concorda, e acha até mesmo que esse momento nunca vai existir. É preciso investigar, sim, campanhas ilegais bancadas por empresários, exércitos de trolls financiados com dinheiro público, grupos organizados que agem e lucram propagando mentiras. Mas transformar os emissores em criminosos não vai colocar na cadeia quem merece – e essa medida, acredite, eventualmente vai se voltar contra nós. Vai depender de quem decidirá o que é mentira.

FONTE: The Intercept Brasil

Expedito Júnior - Um homem chamado SOLIDARIEDADE


Liderados pelo advogado Expedito Júnior um grupo de amigos estiveram neste sábado(09) no bairro Vila Pedro Brito, o objetivo era fazer uma surpresa ao senhor |José Cecílio que sofre de doença degenerativa e não tem como se locomover nem mesmo dentro de casa.
Vendo a necessidade  do seu Cecílio, Luizinho Padeiro tocado de compaixão, articulou junto ao Dr. Expedito Júnior a doação de uma cadeira de rodas nova para seu Cecílio. Expedito Júnior não pensou duas vezes, providenciou logo a cadeira de rodas para seu Cecílio.
Mesmo com dificuldades para se comunicar, seu Cecílio não escondeu o brilho no olhar ao receber a cadeira de rodas. Acompanharam Expedito Júnior o empresário Fabilson Barros e assessores. 
Expedito, emocionado , olhava atentamente a realidade em que vivia a família de seu Cecílio  e disse que uma  gestão publica municipal tem o dever de promover politica especifica para atender pessoas com deficiência e mobilidade reduzida.


Valorização da vida e suicídio é tema da palestra em Bacabal


O Centro Espírita Júlio Luz de Carvalho promoveu na noite deste sábado (09), uma palestra publica com o Professor Robson Martins. Com o tema "A valorização da Vida e o suicídio" o evento chamou atenção da comunidade bacabalense justamente pelo aumento de casos de suicídios em Bacabal e região.
Segundo a organização Mundial da Saúde, em todo o mundo uma pessoa tira a própria vida a cada 40 segundos, Um relatório da agência da ONU apontou ainda que esta foi a segunda principal causa de morte entre jovens com idades entre 15 e 29 anos, após acidentes de trânsito.
Nos adolescentes de 15 a 19 anos, ficou em terceiro lugar, atrás dos acidentes de trânsito e violência interpessoal.
A OMS pediu aos governos que adotem planos de prevenção de suicídio para ajudar as pessoas a lidar com o estresse e reduzir o acesso a meios de tirar a própria vida: "O suicídio é uma questão global de saúde pública. Todas as idades, sexos e regiões do mundo são afetadas".
Para a Doutrina as causas não são apenas materiais ou sociais, há causas espirituais que precisavam ser compreendidas pelas pessoas, é ai que entram os livros codificados por Kardec á luz do evangelho de Jesus.
A continuidade da vida após o fenômeno biológico conhecido como morte é crucial para a ciência que o suicídio não irá colocar fim algum a sofrimentos terrenos. Ainda pelo contrário, dará seguimento as dores espirituais que podem ser tratadas ainda encarnados.
O espiritismo pode ser um dos fatores de prevenção ao suicídio. Como doutrina consoladora o tratamento espiritual e energético age em pontos importantes em que o suicida irá sentir-se acolhido.
A restauração do psicológico em frentes como familiar, emocional, social e acima de tudo espiritual, recompõem a percepção de mundo onde o individuo percebe-se inserido dentro do meio.
O sentimento de marginalização nem sempre retrata a realidade, porém ações acabam direcionando o suicida a solidão.
Acolher e consolar é o principal propósito da doutrina espírita. Deve-se agir incluindo e ressaltando a importância desse indivíduo. Aos poucos poderemos perceber que o espírito do suicida perceberá a sua relevância para o próximo.
Com o amor e paciência vidas são salvas. A energia positiva pode ser expandida e compartilhada a irmãos que necessitam de ajuda espiritual.

sábado, 9 de novembro de 2019

Expedito Júnior visita comunidade Cajueiro



Atendendo o convite da comunidade Cajueiro na Estrada da Bela  Vista, o Pré-candidato a Prefeito de Bacabal Expedito Júnior acompanhado de diversas lideranças comunitárias, esteve na manha de sábado (10) conversando com moradores  daquela comunidade. 
Bem recebido por todos, Expedito ouviu atentamente as reivindicações dos moradores. Liderados pelo presidente da Associação , o senhor Índio, todos fizeram uso da palavra lamentado o descaso como são tratados pela gestão do  município de Bacabal, afirmam que mesmo o prefeito da cidade passando todo dia na comunidade, pois mora nas imediações, nunca encostou para falar nem mesmo um bom dia aos moradores.

Entre as reivindicações feitas pelos  moradores, destacam-se o acesso à saúde, educação e saneamento básico,a  comunidade  formada por mais de trinta famílias, nem mesmo água tratada têm nas suas casas.
Participaram da reunião o empresário Fabilson Barros, lideranças como Rogério Santos, Jesus da Caib, Paulo Campos e representantes da imprensa.
Expedito Júnior ouviu atentamente a fala dos morados do povoado e declarou que a partir desse momento a comunidade tinha um parceiro, que iria conversar com amigos para atender  os  anseios da comunidade. Ao final da reunião moradores declararam que estavam impressionados com a postura de Expedito, ele transmitia  segurança que era a mudanças que eles sonhavam para Bacabal.
Expedito Junior  Dialogo com lideranças

Expedito Júnior Fiscaliza poços artesianos em Bacabal




O Subsecretário de Estado de Indústria, Comércio e Energia do Estado do maranhão, esteve nesta sexta-feira (08) em Bacabal a realizar uma fiscalização da construção do Sistema simplificado de abastimento de água dos povoados bom Principio e Vila Nova Esperança. Os Poços artesianos eram reivindicarções antigas dessas comunidades e que só agora estão sendo atendidas.

Semelhante ao poço convencional, um poço artesiano é assim denominado quando as águas fluem naturalmente do solo, num aquífero confinado, sem a necessidade de bombeamento.É um poço tubular profundo cuja pressão da água é suficiente para a sua subida à superfície, necessitando a instalação de equipamento na boca do tubo para controlar a saída da água. Geralmente, a sua profundidade é maior que a de um poço convencional e, em geral, suas águas têm uma pureza microbiológica maior e com mais sais minerais. Em sua utilização normal para uso residencial, as águas são captadas através de canos.
                              
Além de fiscalizar o andamento das obras, Expedido Junior dialogou com lideranças dessas comunidades, anunciando que é uma determinação do Governador Flávio Dino a imediata conclusão dos poços.

   
Expedito Junior e Regino Líder Comunitário
As lideranças e moradores das comunidades receberam a noticia com alegria, principalmente quando viram que Expedido Junior estava acompanhada dos técnicos da empresa responsável em concluir a obra.



O Subsecretário Expedido Junior declarou que " com a conclusão desses poços artesianos, vamos está levando e garantindo  qualidade de vida para essas comunidades,proporcionado inclusive mais saúde para esses produtores rurais", Conclui Expedido satisfeito.