Novas regras para entrega da Declaração do imposto de Renda

Prazo vai até 29 de abril

Fifa abre janela para jogadores na Rússia e na Ucrânia

Decisão foi motivada pela guerra que acontece no Velho Continente

Expedito Jr. faz Gol de Placa ao apoiar esporte amador em Bacabal

Desportista declaram apoio ao trabalho de expedito

Norris Cole, Lady Conceição e Norris Cole Jr. fazem Show Internacional em Bacabal

Show deve mobilizar toda massa reggueira de Bacabal e região

Diário do Mearim Cidadania

Diário do Mearim Cidadania

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

AIDS: entre a cura possível e um novo surto mundial AIDS: entre a cura possível e um novo surto mundial


Apesar dos progressos da pesquisa, desde a primeira descrição da AIDS, em junho de 1981, pronunciar a palavra “cura” permanece temerário. Em maio de 1983, isolamos o agente responsável por esta degradação geral do sistema imunológico, nomeado em seguida vírus da imunodeficiência humana (HIV, em inglês). Trinta anos de pesquisas nos permitiram chegar a um conhecimento extremamento detalhado dos mecanismos de replicação do vírus e de sua disseminação em diversos compartimentos do corpo, onde ele se fixa de forma latente em reservatórios.
Os resultados mais notáveis deste progresso científico são as combinações de antirretrovirais (ARV), que surgiram em 1996 e permitiram reduzir em mais de 85% a mortalidade dos pacientes Sua ação é, além de terapêutica, preventiva. Desde 1994, o experimento clínico ACTG076 mostrou a eficácia da azidotimina (o “AZT”) para prevenir a transmissão do HIV na gravidez. Estudos recentes acabam de confirmar a potência dos ARVs para limitar de maneira drástica a transmissão sexual do vírus.
São resultados muito importantes. Ao comprovarem que os ARVs permitem não apenas salvar muitas vidas, mas também impedir novas contaminações e frear a expansão da epidemia, requerem uma aceleração do acesso universal aos tratamentos. Em Botswana, onde a cobertura por antirretrovirais é de 90%, “o número de novas infeções por HIV é de 30% a 50% inferior ao que se daria, na ausência de acesso universal ao tratamento”, indica o último relatório da Onusida.
Ora, muitos países não possuem os recursos que permitiriam enfrentar o custo elevado dos tratamentos. Dependem da solidariedade internacional. Infelizmente, a crise financeira mundial projeta pesadas incertezas sobre o futuro de tais financiamentos, pois os países doadores não respeitam mais seus compromissos.
A falta de ARVs já se faz sentir em diversos países receptores de apoio. Eles tornam-se incapazes de tratar pacientes novos e arriscam-se até a interromper os tratamentos em curso. A situação é ainda mais inquietante porque a interrupção das terapias pode levar ao surgimento de cepas do HIV resistentes, e abrir caminho para o ressurgimento de uma epidemia mundial.
A luta contra uma pandemia como a do HIV não pode ser fragilizada pela volatilidade das políticas. É imperativo encontrar mecanismos de financiamento inovadores e perenes, como o tributo sobre as passagens de avião que alimenta o fundo da Unitaid. Há anos, diversos movimentos reivindicam que se tributem as transações financeiras, em benefício da saúde nos países em desenvolvimento. Devemos fazer todo o esforço necessário para que esta proposta seja considerada pelos países do G-20.
Em paralelo, devemos redobrar os esforços para desenvolver novas opções terapêuticas. Não se deve esquecer que, embora os antirretrovirais permitam aos pacientes viver com o HIV – o que já é muito –, o tratamento desta infecção ainda é pesado. Os coquetéis de drogas, que têm efeitos colaterais, precisam ser usados durante toda a vida, sem falhas. Mas eles não eliminam totalmente o vírus, cuja persistência nos reservatórios do corpo está associada a uma inflação crônica e generalizada do sistema imunológico. Os pacientes não recuperam uma esperança de vida idêntica à da população geral. Eles sofrem, entre outros, riscos mais elevados de doenças cardiovasculares, neurológicas, câncer e envelhecimento precoce do organismo.
Erradicar a infecção pelo HIV será, por algum tempo ainda, um sonho. Enquanto isso, um conjunto de modelos permite pensar que poderíamos, em certo prazo, transformar este sonho em realidade, desenvolvendo estratégias terapêuticas curtas, que permitissem alcançar uma remissão de longo prazo, independente de qualquer tipo de tratamento.
Recentemente, o caso de Timothy Ray Brown, chamado de “paciente de Berlim”, demonstrou a viabilidade de tal estratégia. Este homem de seus 40 anos, que vivia com HIV, desenvolveu uma leucemia. Obrigado a realizar um transplante de medula óssea para curá-lo, seu médico selecionou um doador compatível, mas que tinha, além disso, uma particularidade genética: uma mutação do co-receptor CCR5 - uma molécula na superfície das células T CD4, com a qual o vírus interage, para penetrá-las. Sabemos há alguns anos que alguns indivíduos raros – de origem caucasiana – possuem esta mutação, chamada Delta 32, que os torna resistentes à infecção pelo HIV.
Em fevereiro de 2007, no momento do transplante de medula, o tratamento antirretroviral foi interrompido. Desde então – há cerca de cinco anos – não se detecta nenhum traço do vírus no paciente, mesmo quando empregados os métodos mais sensíveis e quando se vasculha todos os compartimentos em que o HIV estabelece reservatórios (intestinos e sistema nervoso central). No entanto, seu organismo continua a produzir anticorpos contra o vírus, indicando que a infecção pode não ter desaparecido totalmente. Do ponto de vista científico, é difícil de afirmar se, na origem desta “cura”, está apenas a mutação Delta 32. Os tratamentos imunodepresssivos que acompanham uma intervenção cirúrgica tão complexa podem ter jogado um papel. Ainda que seja impossível imaginar o desenvolvimento em larga escala de um método extremamente arriscado e custoso, o caso único do “paciente de Berlim” oferece uma razão científica para abordagens de terapia genética que tenham como alvo, entre outros, o receptor CCR5.
Os pacientes “de controle” do HIV representam o modelo ideal de cura a longo prazo. Trata-se de indivíduos raros (menos de 0,3% das pessoas infectadas pelo HIV) que, soropositivos há mais de 10 anos, mantêm sem nenhum tratamento uma carga viral indetectável, e não apresentam nenhum sinal de progressão da AIDS. Observa-se nestes pacientes, de forma notável, um nível de reservatório do HIV mais frágil que nos demais. Sabemos hoje que a manutenção deste controle natural – e extremamente poderoso – da infecção é assegurado por dois mecanismos diferentes. O primeiro diz respeito às células imunitárias chamadas citotóxicas (que eliminam as células infectadas). O segundo está ligado a uma resistência intrínseca de células imunitárias. A compreensão destes mecanismos pode nos ajudar a elaborar novas estratégias terapêuticas, para que um dia todas as pessoas que vivem com o HIV possam controlar sua infecção mesmo interrompendo o tratamento hoje majoritário.
Além disso, há na França um estudo único, chamado “Visconti”, que reúne 18 pacientes. Diagnosticados e tratados entre dois e três meses após a infecção, eles interromperam, segundo seus médicos, o tratamento após alguns anos. Desde então, controlam a infecção. Estas observações confirmam o enorme benefício de um tratamento ultra-precoce. A análise das características imunológicas que permitem a estes pacientes dispensar terapias poderá aportar informações extremamente preciosas.
Um último modelo importante é o dos macacos da África, hospedeiros naturais dos vírus da imunodeficiência simiesca (SIV), que originaram o HIV. Ao contrário dos humanos contagiados pelo HIV, os macacos não desenvolvem AIDS. Se seu sistema imunológico reage à infecção, esta resposta é rapidamente reprimida. Resultado: entre eles, o vírus multiplica-se livremente, sem que se observe a reação inflamatória crônica terrível que atinge o ser humano.
Que mecanismos é preciso induzir, para desencadear uma proteção contra o HIV-AIDS? Isso ainda é um mistério. Muito provavelmente, uma combinação de abordagens terapêuticas e vacinais será, necessária. É por isso que, sob a égide da Sociedade Internacional da AIDS (International AIDS Society, IAS), um grupo de trabalho composto de cientistas do mundo inteiro se debruça sobre uma estratégia global, capaz de definir as prioridades que é preciso perseguir, na esperança de vivermos, um dia, num mundo sem HIV-AIDS. As pesquisas não serão úteis apenas ao combate contra a AIDS.
O HIV pode ser, também, uma ferramenta que ajude a compreender melhor os mecanismos precisos que comandam nossa resposta imunológica. Temos muito a aprender com nossos colegas que trabalham com o câncer e outras doenças crônicas também ligadas a anomalias inflamatórias.
Neste período de crise, há duas opções possíveis: a solidariedade e a colaboração, estabelecidas no início da epidemia. Ou o cada-um-por-si, uma escolha que só produziria perdedores.
FONTE/ SBD – PORTAL DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE DERMATOLOGIA

Deputados Domingos Dutra e Simplício Araújo desafiam o secretário de saúde,Ricardo Murad


O Secretário de Saúde do Maranhão, Ricardo Murad, desafiou o presidente da Embratur, Flavio Dino, a visitar os hospitais do programa saúde é vida, prometidos pela Governadora Roseana na campanha eleitoral de 2010. Em virtude de problemas pessoais Flávio Dino não pode aceitar o desafio.
Os Deputados Federais Simplício Araújo (PPS/MA) e Domingos Dutra (PT/MA) toparam o desafio e ampliaram o foco sobre o funcionamento da Secretaria de Saúde do Estado do Maranhão, com destaque para a farra de construções apelidadas de hospitais.

Nesta primeira parte foram visitados nove hospitais do Programa Saúde é Vida, construídos ou em construção conforme promessa da Governadora Roseana Sarney e que deveriam ter sido entregues à população em dezembro de 2010. Portando, com atraso de mais de 14 meses.
Das nove unidades visitadas apenas uma funciona com capacidade reduzida, pois, de acordo com a propaganda do governo, cada unidade desta deveria representar uma verdadeira “revolução” na vida das pessoas, na oferta de serviços e especialidades em saúde.
Só nestas nove unidades, de acordo com informações levantadas no portal da transparência do governo do estado, estima-se que o governo gastou em torno de R$50 milhões.
A diligência dos deputados federais Domingos Dutra e Simplício Araújo, em pleno dia útil, sexta-feira, constatou-se o descaso com o patrimônio público. Em alguns dos prédios não constam vigilância adequada. Nos prédios de Matões do Norte, Bernardo do Mearim, Lago do Junco, Olho D’água das Cunhãs, Lago Açu e Bela Vista as unidades estavam literalmente abandonadas, apenas com presença de alguns animais (jumentos, cães e gatos) pastando e dormindo tranquilamente no matagal que avança sobre as estruturas abandonadas.
Nestes prédios abandonados, ao invés de pacientes, medicamentos, equipamentos e servidores da área de saúde os parlamentares encontram maxixe, melancia, canapum, mamona, melão de são Caetano, urtiga, cansanção branco e muito mato
.
Nos prédios de Peritoró, Bernardo do Mearim, Lago do Junco, Olho D’água das Cunhãs e Lago Açu, além do abandono, foi constatado crime contra os direitos trabalhistas dos funcionários que trabalharam nas obras, com salários atrasados, falta de registro em carteira da maioria dos trabalhadores e condições insalubres, caracterizando trabalho escravo.

Os parlamentares reuniram mais de cem fotos e produziram um documentário que serão entregues ao Ministério Público e ao Tribunal de Contas da União (TCU). O vídeo com mais de duas horas de duração também será entregue a Comissões de Saúde da Assembleia Legislativa do Maranhão e da Câmara dos Deputados, a Controladoria da República e ao Ministério da Saúde visando apurar os danos ao patrimônio publico, os custos do programa e, ainda, solicitando um termo de ajuste de conduta para que o governo marque, em definitivo, a data de entrega e o funcionamento dos hospitais, uma vez que o governo do estado já anunciou cinco datas e não cumpriu.
Domingos Dutra e Simplício Araújo desejam unicamente que, após de mais de R$ 1 bilhão gastos, estas unidades hospitales sejam entregues à comunidade maranhense com a mesma urgência com que foram anunciados durante a campanha eleitoral de 2010.
Os parlamentares sugerem ao secretário de saúde que, ao invés de mostrar a governadora prédios em revistas coloridas com elevados custos, o secretário Ricardo Murad convide a governadora a visitar o estado de calamidade das construções.
Por fim, os deputados Simplício Araújo e Domingos Dutra desafiam o Secretário de Construções Inacabadas, Ricardo Murad, a diligenciar nos esqueletos hospitalares e aos poucos hospitais que estão funcionando juntamente com a Comissão de Saúde da Assembleia, Ministério Público, Tribunal de Contas e a imprensa. Aguardamos a resposta do Secretário Ricardo Murad até às 15 horas desta segunda-feira, dia 27.
Os parlamentares renunciarão os mandatos se houver qualquer mentira ou manipulação nas matérias nas fotos ou imagens que estão sendo encaminhadas às autoridades e divulgadas pela imprensa. Da mesma forma, desafiamos o secretário Ricardo Murad a renunciar o cargo de Secretário se não provar que os prédios diligenciados e os de Cajari, Matinha, Bacurituba, Palmeirândia, Bequimão, Presidente Sarney, São Roberto, Marajá do Sena, Porto Rico, Serrano, Apicum-Açu estão funcionando e que há mentiras ou manipulações nos fatos constatados.
Como sabemos que Ricardo Murad não topará o desafio, solicitamos à Governadora Roseana Sarney que designe imediatamente uma comissão composta pela Controladoria do Estado, Ministério Público Estadual, Tribunal de Contas, Membros da Comissão de Saúde, Deputados Federais, representante da Federação dos Municípios do Estado do Maranhão (Famem) para vistoriar as construções e adotar medidas urgentes para estancar os danos ao patrimônio público, bem como colocar em funcionamento as unidades hospitalares conforme compromisso assumido na campanha de 2010.
Desafio feito. Esperamos resposta até segunda-feira, às 15 horas.
FONTE: Blog do Neto Ferreira

CNJ e entidades de juízes defendem foro privilegiado



A corregedora do CNJ (Conselho Nacional de Justiça), Eliana Calmon, e as principais entidades representativas de juízes e procuradores da República defenderam ontem a extinção do foro privilegiado no país.
Segundo a legislação, parlamentares federais, ministros e outras autoridades só podem ser processados e julgados no STF (Supremo Tribunal Federal) em matéria criminal. Os governadores são julgados no STJ (Superior Tribunal de Justiça).
A mudança, pela qual todas as autoridades passariam a ser processados na primeira instância do Judiciário, só poderia ser feita com uma emenda à Constituição.
“O foro é próprio de ‘república das bananas’, para deixar a salvo as pessoas que querem ficar à margem da lei”, disse ontem Calmon.
O ministro José Eduardo Cardozo (Justiça) disse que a impunidade incentiva a criminalidade. Segundo o presidente da AMB (Associação dos Magistrados Brasileiros), Nelson Calandra, o foro “é, para muitos casos, sinônimo de impunidade”.
Para Gabriel Wedy, presidente da Ajufe (Associação dos Juízes Federais), há também “razão filosófica” para a extinção do foro. “Não é crível que o cidadão comum seja julgado por um juiz e o político seja julgado por outro.”
O presidente da ANPR (Associação Nacional dos Procuradores da República), Alexandre Camanho, disse que “Se os casos fossem para a primeira instância, creio que haveria um efeito didático, porque começariam a haver condenações.”
O presidente da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), Ophir Cavalcanti, disse que “o foro é um escudo para proteger os políticos”.
Para Claudio Weber Abramo, diretor-executivo da Transparência Brasil, o Ministério Público se tornou “um órgão opaco”. “Percebemos que as investigações muitas vezes não vão para frente por falta de vontade.”

Concursos públicos oferecem 25 mil vagas e salários de até R$ 21 mil


R7
Em todo o país, há mais de 25 mil vagas disponíveis em concursos públicos. As oportunidades são para todos os Estados e para o Distrito Federal. Também há certames de abrangência nacional.
É possível encontrar ainda oportunidades para professores, juízes, médicos, nutricionistas, guardas municipais, entre outros cargos.
O maior salário oferecido é para procurador do Ministério Público, organizado pelo Tribunal de Contas do Distrito Federal: R$ 22.911,74. As vagas são para ensino superior e as inscrições vão até 13 de março.
A Secretaria de Educação de Sergipe tem o maior número de vagas, com 1.700 oportunidades para professores. Para concorrer, é preciso ter nível superior completo. As inscrições vão até 11 de março e a taxa é de R$ 59. Os vencimentos, somando salários e benefícios, totalizam R$ 2.326,52.
Outro certame com grande número de vagas é o da Liquigás Distribuidora S.A, empresa responsável pela distribuição e comercialização de GLP (gás liquefeito de petróleo) da Petrobras. Ao todo, são 1.160 oportunidades para todos os níveis de escolaridade. Os salários variam de R$ 854,02 a R$ 3.163,80. Os interessados têm até o dia 4 de março para fazer o cadastro.
Já a Secretaria de Estado da Educação de São Paulo divulgou o edital para selecionar 9.932 agentes de organização escolar. O salário oferecido é de R$ 800 para jornada de trabalho de 40 horas semanais. As inscrições, porém, só estarão disponíveis a partir de 14 de março.
O STJ (Superior Tribunal de Justiça) também está com inscrições abertas para o concurso público que irá preencher 28 vagas para os cargos de analista e técnico judiciário. Os salários oferecidos variam de R$ 4.052,96 a R$ 6.611,39, de acordo com o cargo escolhido. As inscrições vão até o dia 16 de março.

O URBANO DIVIDIDO


Após os delírios, alegorias e adereços das viagens surreais de cunho carnavalesco, não me atrevo a fazer nenhuma previsão sobre o enredo dos próximos capítulos da novela do Governo do Maranhão que serão levados ao ar na “tela da TV e no meio desse povo”.
Após as aventuras televisivas e espetacularizadas da Via Expressa, do Beija-Flor e do Maranhão Basquete, fica difícil até opinar sobre os episódios que ainda estão por vir, em se tratando de pão e circo para uma platéia ainda festiva e aparentemente desligada dos crônicos e diários problemas que acometem o nosso estado oligárquico e a nossa cidade quatrocentona.
Arrisco e assino uma proposta, antes mesmo de um palpite, da necessidade de iniciarmos uma discussão séria com todos os diversificados segmentos da sociedade ludovicence sobre os destinos da nossa querida São Luís, que tantos dizem amar; só que, apesar de tanto amor declarado, poucos gestos de afeto e apreço tem-se consolidado em termos de obras e serviços pautados num planejamento urbano, onde a dignidade humana e o Direito à Cidadepontifiquem como fundamento maior das Políticas Públicas a serem priorizadas pelos presentes e futuros governantes municipais.
Por falar em direito, relembro que em março de 2010, foi realizada no Rio de Janeiro a quinta sessão do Fórum Urbano Mundial, que teve como tema central: “Direito à Cidade – Unindo o Urbano Dividido”, evento que reuniu autoridades governamentais, lideranças comunitárias, pesquisadores e diversos tipos de organizações sociais para discutir as várias faces das desigualdades sociais que dividem, muitas vezes de modo violento e cruel, os territórios das cidades do Brasil e do Mundo.
Com toda certeza, o nosso urbano, dividido e desigual, representa no atual momento a grande chaga social que a especulação imobiliária e as equivocadas intervenções urbanísticas de grande monta vêm escancarando, feito uma ferida incurável que a cada dia sangra mais, ferindo fundo a impotência e a passividade de todos que se limitam a observar, ou até mesmo colaborar com o atual estado da arte, que só agudiza o sofrimento de uma população que pouco tem do que se orgulhar em torno dos festejos programados para os 400 anos da cidade.
Faz algum tempo, se não me engano em 1999, contribui com um texto e uma palestra para o seminário “Cultura: Planos de Governo”, promovido pelo Fórum Intermunicipal de Cultura, realizado na cidade de São Paulo; que tinha entre uma das suas principais diretrizes,“contribuir para a elaboração de Planos de Governo democráticos e participativos, sintonizados com os processos culturais locais e globais”.
Do texto, publicado posteriormente pela revista do respeitado Instituto Pólis, compartilho com os leitores desta coluna um trecho, que considero bastante atualizado e pertinente, por colocar a dignidade da pessoa humana como elemento central do debate a ser travado em torno doDireito à Cidade e do combate ao esgarçamento do tecido urbano, às vésperas de decidirmos os destinos da próxima governança do Município de São Luís:
“As pessoas estão nas cidades e as cidades nas pessoas, assim como sujeitos e objetos; ambas se reconstroem todos os dias; nas suas esquinas, becos e avenidas, feiras e praças; nas conversas das comadres, na apoteose de seus bêbados e malandros, poetas e pivetes; engendrando novas formas de convivência, compartilhando ruas e soluções urbanas; com mais ou menos doses de humanidade, conforme a inclusão/exclusão das culturas de milhões de uns, com seus cantos/desencantos, religiosidades e ateísmos conferem à paisagem coletiva tons de solidariedade e desagregação”.
“Trata-se de uma peleja ainda não acabada, às vezes nordestina, de outras transregional, rural/urbana, central/periférica. Os diálogos e as sínteses são construídos a partir dessa possibilidade de respeito e acatamento de outras identidades e pertencimentos; da construção permanente das pontes humanas: homem/homem, homem/cidade, cidade/homem, cidade/cidade.
PS. Dedico o presente artigo aos poetas, educadores, escritores e humanistas, membros do Instituto Pólis - Hamilton Faria e Valmir de Souza - que compartilharam comigo tantas pelejas em prol de um mundo solidário e responsável, a partir das conspirações poéticas em defesa das cidades.
 

 
Joãozinho Ribeiro
poeta/compositor

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Jogador é baleado durante festa na cidade de Bacabal

O atacante do Bacabal Esporte Clube, Luís Henrique, de 19 anos, foi alvejado com um tiro na barriga durante uma festa na madrugada de ontem, no Centro Cultural daquela cidade. O jogador foi submetido a uma cirurgia, o estado dele é estável e aguarda liberação dos médicos para ser transferido para São Luís, onde mora sua família.
Inconformado com a saída do técnico Paulo Cabrera, Luís Henrique pediu dispensa do Bacabal e deixou a sede do clube, mas permaneceu na cidade aguardando a rescisão de contrato. Na madrugada de ontem, ele foi assistir à apresentação dos blocos de Carnaval e durante uma briga foi baleado.
O dirigente do Bacabal fez questão de afirmar que gostaria de continuar com Luís Henrique no clube. Luís Henrique iniciou a carreira nas categorias de base do Iape, pelo qual disputou a Copa São Paulo 2011 tendo grande sucesso.
No mesmo ano, o atleta se transferiu para o Cruzeiro Esporte Clube, de Minas Gerais. Em 2012, ele retornou ao futebol maranhense a convite do treinador Paulo Cabrera para jogar no Bacabal Espoorte Clube, e era um dos artilheiros do time, ao lado de Vando, ambos com dois gols.
FONTE: JP

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

Não aceite “parada cardíaca” como causa da morte de seu filho Flávio Dino, diz leitor do Blog de Neto Ferreira

O leitor Eduardo Rodrigues da Silva que trabalho com asmáticos há 11 anos, encaminhou ao blog uma nota de solidariedade a família do ex-deputado federal e atual presidente da Empresa Brasileira de Turismo (Embratur), Flávio Dino, e pedindo que não aceitem o fato da morte como consequencia de uma “parada cardíaca” como o principal fator da morte do jovem Marcelo Dino Fonseca de Castro e Costa, de apenas 13 anos. Abaixo a nota emcaminhada pelo leitor:
É triste e lamentável comentar a morte de um menino bonito, simpático, cheio de sonhos com uma vida pela frente!
Marcelo Dino
Marcelo Dino
Porém eu venho aqui solicitar ao senhor Flavio Dino e família, que por favor, em nome de milhares de famílias, amigos, e asmáticos do Brasil, que por favor exija uma investigação imparcial, e não aceite ”parada cardíaca” como causa da perda de seu filho!
Eu trabalho com asmáticos há 11 anos, estudo muito o assunto e um fato terrível é que nunca ouvi falar de morte por asma de maneira espontânea, mas sempre, sempre após o uso de “bombinhas”, sempre após o ministraço de medicamentos que causam sim danos diversos, as vezes pioram as crises, causam incômodos e males diversos que todos que usam reclamam, porém os médicos e laboratórios negam aquilo que as pessoas sentem a após o uso de tais medicamentos!
Pessoas com problemas nos rins, estômago, fígado, coração, inchaços por todo o corpo, e simplesmente parando o tratamento que nem mesmo controla a asma, que por sua vez não é doença, mas sim sintomas, e por isso não conseguem controlar, e parando com o medicamento os outros problemas, e até mesmo crises cessam!
Há 11 anos eu vejo isso, me irrita o fato de ver que as respostas para uma notícia triste dessa enganam a maioria da população mundial!
Eu nunca soube de um só caso aonde a pessoa veio a óbito sem que houvesse utilizado broncodilatadores antes!
Eu estudo, me envolvo nesse assunto todo santo dia, e será que só eu percebi que tem acontecido isso?
Só em 2006, apenas no Estado de SP 9 mil pessoas contraíram infecção hospitalar, e dessas 1200 morreram, e eu vi em matéria da EPTV ( globo ) de Campinas a reclamação dos médicos, onde ser nota a insatisfação com as pesquisas e desenvolvimento de novos medicamentos, pois os que se ministram já são ultrapassados, mas agora inventaram a “superbactéria” para justificar a porcaria de medicamentos utilizados ainda hoje. Eu acho que essas pessoas foram assassinadas e nada foi feito!
Flávio Dino e família
Flávio Dino e família
Creio que essas mortes deveriam ser investigadas, investigados médicos e laboratórios, porém nos casos de asma, fico louco com o que vejo todos os dias, minha pressão arterial chegou a 21/15, tive colite há poucos dias, porque em meu blog denuncio tudo isso além de denunciar eu pode ajudar milhares de pessoas, e garanto que o menino Marcelo Dino não teria morrido se sua família tivesse conhecido o que tenho a oferecer!
Não sou um oportunista, mas já to vendo que de maneira alguma as investigações chegarão aos laboratórios!!!
Há 11 anos venho fazendo especialistas passarem vergonha, pois eu tenho um produto que em diversos países fez o que médicos não podem fazer!
Eu tenho provas, fatos, testemunhas, depoimentos de que posso ajudar, e basta verificar esses depoimentos e pensar se o garoto teria morrido se conhecesse o meu produto!!
Por fazer médicos passarem vergonha, estou sendo acusado pela ANVISA de: “falsificação, adulteração, propaganda enganosa, crime contra a saúde pública, levar o consumidor ao engano, etc. Porém sem apresentarem uma só pessoa que tenha reclamado de falta de resultados ou algum tipo de prejuízo, e quando fui prestar depoimento no processo vi que a vítima era a “incolumidade publica”.
Será que se eu tivesse pago propina, lobista eu seria criminoso???
Há muitos medicamentos aprovados sem eficiência alguma, porém em vez de me ajudar, médicos e técnicos da ANVISA, sem saber de nada sobre meu produto me acusam, e usam o Ministério Publico de SP para tentar acabar comigo!
Basta visitar meu blog e ver que eu poderia ter salvado a vida desse menino!! Eu sou pai de dois filhos, dois lindos meninos, eu tento imaginar a dor desse homem, dessa mãe, dessa família, e me machuca ainda mais saber que eu Eduardo Rodrigues da Silva, poderia ter dado continuidade à vida desse garoto!!!!
Eu não tenho recursos para colocar o produto no mercado de consumo, porém quando entro numa farmácia sofro ao ver tanta porcaria com autorização e sem eficiência nenhuma!
Após ler o Best Seller de Kevin Trudeau “Curas Naturais que Eles não querem que Você saiba”, fiquei estarrecido pois não é apenas eu que percebe essas coisas!!!
Não generalizando, mas médicos já não são como os dos séculos passados, que pesquisavam, desenvolviam, pensavam, criavam, pois os de hoje não passam de representantes comerciais e se seus patrões disserem: ” as reações adversas são psicológicas”, esses novos especialistas acreditam e nada fazem, se comportam como zumbis, e os que foram médicos de meus clientes, segundo meus clientes, os médicos não conseguem olhar nos olhos dos pacientes após algumas visitas sem sucesso nos resultados esperados!!
Peço ao senhor Flavio Dino que por favor, se necessário for, pague por uma análise mais profunda na investigação, pois é “curioso” o fato de que só na hora da aplicação do medicamento a pessoa venha a óbito!!
Eu não acredito que tenha sido demora no atendimento, e minha humilde opinião é que os medicamentos matam, porém culpam a asma! Mas confessar isso, traria escândalos, perdas catastróficas aos laboratórios, porém não se importam com as perdas de milhares de pessoas todos os dias!
É arriscado tocar nesse assunto, mas eu acho que é necessário, pois eu poderia ter ajudado e evitar isso, mas não tenho o dinheiro que essas industrias tem.
Meus sentimentos à família.
Peço desculpas, mas insisto que não acredito na resposta de “parada cardíaca provocada pela crise de asma”, pois todo mundo fala, mas na internet não há nada relacionado aos possíveis danos que esses medicamentos podem causar!! Apenas em comunidades no Orkut eu vejo isso, mas logo aparece alguém falando que não sente nada, que os medicamentos são maravilhosos, etc! Entrem no meu blog e vejam o que o Sr. Ernani Cardoso diz em seu depoimento sobre os medicamentos conhecidos, vendidos em farmácias e ministrados em hospitais!!
As pessoas morrem na hora que se dá o medicamento e isso é muito “esquisito” !!!!

A política vai ter que esperar…

Blog do Marco Aurélio D’Eça
Se insistiam em uma decisão rápida para a formação da chapa que disputaria a eleição em São Luís, os aliados do ex-deputado Flávio Dino (PCdoB) vão ter que esperar.
A tragédia familiar que se abateu sobre Dino pode ter sido o ponto definitivo para sua desistência da disputa pela prefeitura.
Abalado pela morte do filho, o ex-parlamentar precisará de algum tempo – meses até – para retomar o eixo da vida e seguir em frente.
E isso deve ser respeitado.
Os membros de PP, PPS, PSB e PTC vão ter que ficar em compasso de espera, a menos que decidam se movimentar por si só.
Tadeu Palácio (PP) já havia lançado candidatura; Edivaldo Júnior (PTC) também. Roberto Rocha (PSB) e Eliziane Gama (PPS) foram intimados pelos respectivos partidos a entrar na disputa.
Mas nenhum deles pretende tomar decisão sem a presença do líder do grupo, que precisa, hoje, da introspecção familiar.
Momentaneamente sem rumo, estes partidos terão que aguardar – provavelmente até junho, às vésperas das convenções.
E vão começar da estaca zero…

Verdades OU inverdades sobre o processo de cassação de Roseana

 
O juiz Sérgio Muniz marcou para o dia 5 de março a oitiva de testemunhas do processo em que o derrotado José Reinaldo (PSB) pede a cassação da governadora Roseana Sarney (PMDB).
A oposição tem feito um verdadeiro “cavalo de batalha” em torno do tema. Tudo bobagem. O que José Reinaldo e seus advogados não dizem é que, por uma “barbeiragem jurídica” da defesa, os acusadores de Roseana tiveram de dispensar as testemunhas de acusação.
Ou seja, o processo em que os adversários querem cassar a governadora só tem as testemunhas de defesa dela. É difícil uma pessoa ser condenada apenas com seus defensores falando nos autos.
Outra bobagem. Costumam citar o fato do pai do juiz Sérgio Muniz ser secretário-adjunto na Casa Civil. O ex-prefeito Sálvio Dino (João Lisboa) também é adjunto na Casa Civil. Sálvio é pai do presidente da Embratur, Flávio Dino (PCdoB).
A turma de José Reinaldo e do PCdoB faz insinuações ainda em relação ao também juiz do TRE José Carlos Sousa e Silva, que já presidiu a Fundação José Sarney. Só não dizem que ele é sogro do comunista Allan Kardec, diretor da Agência Nacional do Petróleo e também aliado de Flávio Dino.
Chegaram até plantar essa história na coluna Radar On line, da Veja, mas sem fazer as ponderações do blog.
Por isso, você que é contra Roseana, não se iluda. O processo movido contra a governadora é totalmente diferente do que levou à cassação do ex-governador Jackson Lago (PDT). Leia o despacho de Sérgio Muniz:
PROCESSO N° 273-1.2011 (Petição).
Carta de Ordem n° 14/SEPROC3/CPRO/2011.
REFERÊNCIA: Recurso Contra Expedição de Diploma n° 8-09.2011 – TSE.
RELATOR: Ministro Arnaldo Versiani.
RECORRENTE: José Reinaldo Carneiro Tavares.
RECORRIDOS: Roseana Sarney Murad e Joaquim Washington Luiz de Oliveira.
RELATOR NO TRE/MA: Juiz SÉRGIO Murilo de Paula Barros MUNIZ.
D E S P A C H O
Trata-se de Carta de Ordem extraída do Recurso Contra Expedição de Diploma n° 8-09.2011 – TSE, em que o Exmo. Sr. Ministro Arnaldo Versiani requisita do Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão a oitiva das testemunhas indicadas no despacho constante às fls. 86/88.
Verifico às fls. 94/95 que o advogado do recorrente José Reinaldo Carneiro Tavares desistiu da oitiva das testemunhas de acusação, restando, portanto, as de defesa.
Todas as testemunhas pelos arroladas recorridos, Fábio Gondim Pereira da Costa, Roberval Cordeiro Silva, Remi Ribeiro Oliveira, Francisco Emiliano Ribeiro de Meneses (fls. 66), Hildo Augusto Rocha Neto, Ricardo Jorge Murad, Sérgio Antônio Mesquita Macedo, Raimundo Nonato Carneiro Sobrinho, Benedito Bogea Buzar e George Alan Ramalho Pereira (fls. 73/74) possuem residência nesta Capital.
Às fls. 1587 consta decisão do Ministro Versiani deferindo a intimação pessoal das testemunhas do recorrente e do recorrido, se caso requerido nos autos.
Os recorridos Roseana Sarney Murad e Joaquim Washington Luiz de Oliveira atravessaram petição nos autos da Carta de Ordem requerendo que as testemunhas por eles arroladas fossem intimadas via Aviso de Recebimento (AR), nos termos da mencionada decisão do Ministro-Relator.
Na espécie, entendo que o pedido não merece ser acolhido tendo em vista que mesmo cientes da decisão do Ministro, quedaram silentes, quando deveriam na primeira oportunidade apresentar o requerimento de intimação junto ao Relator do RCED.
Desse modo, indefiro o pedido dos recorridos constante às fls. 287.
Sensível à necessidade de cumprimento da Carta de Ordem com a maior brevidade e em consonância com a recente decisão do Ministro Versiani de fls., comunicada a este Tribunal através da Mensagem n° 14/2012/SEPROC3/CPRO/SJD, de 15.02.2012, determino aos recorridos a apresentação das testemunhas arroladas, as quais deverão comparecer independentemente de intimação, com fulcro no inciso V, do artigo 22, da Lei Complementar n° 64/90, na Sede deste Tribunal Regional Eleitoral às 09:00 (nove) horas do dia 05 (cinco) de março de 2012, quando então serão inquiridas no Auditório Irtes Cavaignac, localizado no 5° andar do anexo.
Dê-se ciência via fax ao Ministro Arnaldo Versiani deste despacho.
Comunique-se o Ministério Público Eleitoral.
Publique-se e Cumpra-se.
São Luís, 16 de fevereiro de 2012.
Juiz SÉRGIO Murilo de Paula Barros MUNIZ
Relator
Do Blog do Decio e Blog do Marcelo Vieira

Famem quer evitar abuso eleitoral de prefeitos

junior marreca

Famem quer evitar abuso eleitoral de prefeitos

O procurador regional eleitoral no Maranhão, Marcílio Nunes Medeiros, garantiu ontem ao presidente da Federação dos Municípios do Estado do Maranhão (Famem), prefeito Junior Marreca, apoio à iniciativa da entidade de encaminhar técnicos e analistas do Ministério Público Eleitoral (MPE) e do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) para ministrar seminários no interior do estado sobre as condutas vedadas aos agentes públicos durante o período eleitoral.
Uma das maiores preocupações de Junior Marreca é com os 138 prefeitos que exercem o seu primeiro mandato, para que eles não desobedeçam os parágrafos 10 e 11 do artigo 73 da lei nº 9.504/1997, que estabelece que, a contar de 1º de janeiro deste ano, “estão proibidas a distribuição gratuita de bens, valores ou benefícios por parte da Administração Pública”.
Levantamento promovido pela Confederação Nacional de Municípios (CNM) aponta que 38,1% dos casos foram motivados por ações de improbidade administrativa e, em 36,9% deles, justamente por infrações à legislação eleitoral.
“Nossa preocupação é evitar o desequilíbrio no processo eleitoral provocado pelo abuso do poder político e econômico por quem já está no mandato de prefeito. Muitas vezes, não existe má-fé do gestor”, afirmou o presidente da Famem. Estão previstos oito seminários no estado.
DIÁARIO DO MEARIM COM INFORMAÇÕES DE O ESTADO DO MARANHÃO E GI

Quilombolas do MA ganharão projetos de aquicultura

por Gabriela Eduarda  do GI
proejtos
O Ministério da Pesca e Aquicultura (MPA), em parceria com o Governo do Estado, vai implantar projetos de aquicultura em áreas quilombolas maranhenses.
Para discutir esta parceria, a Secretaria da Agricultura, Pecuária e Pesca (Sagrima), promoveu uma reunião com o diretor de Diretor do Departamento de Planejamento e Ordenamento da Aquicultura em Estabelecimentos Rurais e Áreas Urbanas do MPA, Luiz Oswaldo de Souza.
Participaram do encontro o secretário da Sagrima, Cláudio Azevedo, a secretária do Desenvolvimento Agrário e Agricultura Familiar (Sedagro), Conceição Andrade, a secretária de Igualdade Racial (Seir), Claudete Ribeiro, além de representantes das Secretarias da Mulher e de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, sociedade civil organizada, bancos, estudantes do curso de Engenharia de Pesca e professores da Universidade Estadual do Maranhão (Uema) e do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (Ifma).
O diretor do MPA, Luiz Oswaldo de Souza, informou que o Maranhão terá prioridade na implantação dos projetos, que fazem parte de um programa que ele está elaborando no MPA, com o objetivo do aumento da produção como alternativa para diminuir a pobreza nessas áreas.
“Até o final do mês de março iremos concluir a elaboração do programa e o Maranhão terá prioridade na execução, pois possui mais de 600 comunidades quilombolas, concentrando a maior parte daquelas existentes no Brasil”, explicou o diretor do MPA.
De acordo com Luiz Oswaldo de Sousa, é imprescindível a parceria entre governos estadual, federal e municipal e sociedade civil organizada e principalmente a união entre os órgãos que atuam com ações voltadas para o setor agropecuário.
Informado pelo secretário Cláudio Azevedo de que no Maranhão a Sagrima, a Sedagro, Sebrae e outros órgãos estão discutindo ações em conjunto voltadas para o setor agropecuário, o diretor Luiz Oswaldo afirmou que essa parceria é fundamental para a execução dos projetos que serão implantados.
“Esse encontro foi muito importante porque estão aqui representantes não só do governo estadual, mas também de vários setores. Isso com certeza é um diferencial que contribuirá muito para o sucesso dos projetos”, avaliou ele, após o término da reunião.
Os projetos que serão implantados em áreas quilombolas seguirão a metodologia adotada pelo Banco do Brasil, do Desenvolvimento Regional Sustentável (DRS), que prevê a mobilização dos diversos setores, visando a sustentabilidade dos projetos.
A criação de camarão, sururu e peixes fará parte dos projetos de aqüicultura que serão implantados em áreas quilombolas.
A gestora de Igualdade Racial da Prefeitura Municipal de Icatu, Élida Carina dos Santos Torres, vê na instalação desses projetos uma oportunidade para os quilombolas que residem nas 42 comunidades do município. “Icatu tem potencial, muita água e isso é uma fonte de riqueza para esses quilombolas”, afirmou ela.
O secretário Cláudio Azevedo sugeriu aos participantes a criação de um Grupo de Trabalho para discutir as demandas dos quilombolas e também auxiliar o Ministério da Pesca e Aquicultura na elaboração dos projetos.
A reunião encerrou com a apresentação do Superintendente de Promoção e Desenvolvimento da Pesca e Aquicultura da Sagrima, José de Ribamar Rodrigues Pereira, que apresentou as principais ações que serão executadas pelo governo estadual na área de aquicultura, como uma das estratégias para a mitigação da pobreza rural maranhense.

Lei da Ficha Limpa já está valendo para 2012

stf
Quase dois anos depois de entrar em vigor, a Lei da Ficha Limpa foi declarada constitucional nesta quinta-feira (16) pela maioria dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF). Por sete votos a quatro, o plenário determinou que o texto integral da norma deve valer a partir das eleições de outubro.
Com a decisão do STF, ficam proibidos de se eleger por oito anos os políticos condenados pela Justiça em decisões colegiadas, cassados pela Justiça Eleitoral ou que renunciaram a cargo eletivo para evitar processo de cassação, com base na Lei da Ficha Limpa.
 O Supremo definiu ainda que a ficha limpa se aplica a fatos que ocorreram antes de a lei entrar em vigor e não viola princípios da Constituição, como o que considera qualquer pessoa inocente até que seja condenada de forma definitiva.
A decisão foi tomada com base no artigo da Constituição que autoriza a criação de regras, considerando o passado dos políticos, para proteger a “probidade administrativa e a moralidade”.
Proposta por iniciativa popular e aprovada por unanimidade no Congresso, a ficha limpa gerou incertezas sobre o resultado das eleições de 2010 e foi contestada com dezenas de ações na Justiça. Depois de um ano da disputa eleitoral, a incerteza provocada pela lei ainda gerava mudanças nos cargos. Em março de 2010, o próprio Supremo chegou derrubar a validade da norma para as eleições daquele ano.
O julgamento começou em novembro de 2011 e foi interrompido por três vezes. Nesta quinta (16), a sessão durou mais de cinco horas para a conclusão da análise de três ações apresentadas pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), pelo PPS e pela Confederação Nacional das Profissões Liberais (CNPL).
As entidades buscavam definir a aplicação da lei e a análise foi marcada, voto a voto, por intervenções dos ministros que atacavam e defendiam a lei.
O relator, ministro Luiz Fux, foi o primeiro de defender a tarefa da ficha limpa de selecionar os candidatos a cargos públicos com base na “vida pregressa”. Para ele, se a condenação for revertida, o político voltará a poder se eleger.
O direito do cidadão de poder escolher representantes entre pessoas com ficha limpa também foi defendido pelo ministro Joaquim Barbosa. Também votaram a favor da aplicação integral do texto da lei os ministros Ricardo Lewandowski, Ayres Britto, Marco Aurélio, Rosa Weber e Cármen Lúcia.
FONTE: G1 PORTAL

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Mulher recebe rim de amante do marido

Uma mulher recebeu um transplante de rim da amante de seu marido na Turquia, após 12 anos de diálises, revela o jornal turco “Hurriyet” nesta quarta-feira (15).
A doadora, Ayse Imdat, de 34 anos, afirmou que decidiu doar o órgão à paciente, Meliha Avci, sem ter recebido nenhum tipo de pressão, pelo desejo de ajudar à esposa de seu amante.
Meliha e Mehmet Avci, moradores da província de Nevsehir, na Anatólia Central, se casaram há 16 anos e têm um filho, mas quatro anos depois do casamento Meliha começou a sofrer de insuficiência renal e precisou fazer diálises três vezes por semana.
Já Mehmet e Ayse se conheceram há cinco anos e têm uma filha juntos. Ayse, que já havia doado sangue à mulher de seu amante, decidiu oferecer o rim e a operação correu bem.
Meliha contou ao jornal turco que ela nunca teria pedido este favor, mas que está muito agradecida à pessoa com a qual agora compartilha “sangue, o marido e um rim”.
Fonte: G1